Software AG mostra os desafios dos negócios digitais

0
5

Capacidade de adaptação rápida às mudanças do mercado, necessidade de inovação constante, agilidade na busca por informações que imprimam inteligência aos dados capturados permitindo assim a tomada de decisões assertivas, redução de custos, aumento da competitividade. Esses são apenas alguns dos desafios enfrentados diariamente pelas empresas que estão transformando suas operações para fazerem negócios em um ambiente cada vez mais digital.

Para apresentar esse novo cenário às corporações, a Software AG promoveu o Innovation Day, para troca de experiências e conhecimentos sobre tendências e boas práticas da chamada revolução digital. "A proposta da transformação digital é baseada no uso do máximo de recursos que a tecnologia pode oferecer às companhias para a tomada de decisões mais assertivas e estratégicas, que vão de acordo com as novas demandas do mercado. Mas, mais do que isso, essa nova realidade está totalmente voltada a uma necessidade que todas as empresas têm em comum – aprimorar a experiência do cliente. Cliente esse cada vez mais exigente e conectado", afirma Leandro Hernández, diretor de Operações (COO) da Software AG para a América Latina.

O evento apresentou temas voltados ao mercado financeiro, setor público, Internet das coisas e realidade virtual.

"O mercado financeiro enfrenta diversos desafios à medida que a competitividade cresce e novos modelos de negócio apontam rupturas fundamentais na demanda de serviços e produtos. As instituições financeiras estão cientes das exigências do seu público, particularmente no que se refere à integração de aplicações e serviços, oferecida por diversos meios e suportada por uma robusta plataforma tecnológica, combinando agilidade, eficiência e controle", diz o executivo. "As instituições devem estar preparadas para entender a necessidade de clientes bem informados e exigentes, bem como enfrentar uma concorrência cada dia mais criativa e agressiva. Entendemos que é a partir de uma plataforma digital de negócios que instituições podem maximizar o retorno do capital investido em tecnologia, oferecendo maior agilidade na criação de ofertas e no atendimento às demandas do mercado, o que gera um maior retorno ao acionista", completa Souza.

Segundo o executivo,  um dos principais desafios dos CFOs e demais profissionais do segmento financeiro é combinar a necessidade da rápida adaptação ao novo cenário digital – imprimindo rentabilidade e competitividade aos negócios – ao aprimoramento da experiência do cliente. "Mas transformar o setor não se limita a coletar dados de forma segura, analisar e tomar decisões assertivas. O segmento financeiro também precisa cuidar da experiência dos clientes, surpreendendo-os positivamente e fidelizando-os."

Para o executivo, o cidadão de hoje demanda da máquina pública, a mesma agilidade e experiência personalizada que encontra no setor privado. Para que essa entrega seja possível, as instituições públicas precisam investir em inovação constante, tornando seus processos mais eficientes e incorporando ao seu dia a dia os conceitos do chamado Governo Digital — que nada mais é do que a aplicação da tecnologia na melhora dos serviços e das políticas públicas, de forma a transformar as relações com seus servidores.

Em relação ao desafio da Internet das Coisas, as empresas precisam digitalizar seus processos, revisitar seus modelos de negócio e desenvolver assim uma nova maneira de atuação, adaptando-se, realmente, à revolução digital.

Realidade Virtual

Imagine uma empresa de fármacos que consegue mostrar todos os efeitos que seus produtos promovem dentro do corpo de uma pessoa. Comprovando – pela tecnologia – a eficiência, segurança e qualidade de determinado medicamento. Com a realidade virtual, isso se tornou possível.

Pedro Kayatt, diretor da empresa VR Monkey, uma startup de realidade virtual associada à Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo IPEN/USP, gerida pelo Cietec (Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia), explicou várias soluções onde pode ser aplicada a realidade virtual. Sua  empresa criou de jogos eletrônicos, como Badaboom e Domino Gang, sucesso de download nas plataformas mobile.

A empresa agora está desenvolvendo soluções para empresas e na área educacional. O último projeto da empresa em realidade virtual é o Dinos do Brasil, recriação dos dinossauros brasileiros, feita em parceria com paleontólogos da USP, que será exposto no Museu Catavento a partir de dezembro de 2016.

"O uso de realiade virtual pode trazer benefícios gigantescos para as empresas, como novos modelos de negócios, melhor utilização e preparação das equipes, redução de custos, análises de comportamento permitindo ações preditivas baseadas em percepções reais e a entrega de uma excelente experiência para o cliente", explica o diretor.

Deixe seu comentário