IPASGO atualiza MS-SQL e melhora tempo de resposta no atendimento ao cidadão

0
0

O Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (IPASGO), que administra o plano de saúde dos cerca de 600 mil servidores públicos estaduais e dependentes com uma ampla rede credenciada de profissionais, clínicas, laboratórios e hospitais, tinha como objetivo melhorar o atendimento aos usuários, modernizando seus sistemas tecnológicos. Com a atualização da plataforma SQL Server, tanto para o instituto quanto para os seus segurados, trouxeram a padronização das ferramentas de Business Intelligence (BI) resultando em ganho de tempo em consultas, além da possibilidade de mais conexões simultâneas.

"O instituto optou pelo SQL da Microsoft, pois nos permite criar estruturas de consultas de alto desempenho, fornecendo dados analíticos usados em relatórios disponibilizados no portal. Na prática, o novo sistema melhorou a performance ao mesmo tempo em que facilitou a utilização das ferramentas", diz Murilo Moreira de Oliveira, gerente de Planejamento e Sistema de Informações do IPASGO.

Ele migrou a versão do software de banco de dados Microsoft SQL Server 2005 para Microsoft SQL Server 2012, que entre outras vantagens permite a padronização das ferramentas de Business Intelligence (BI). O uso do MS SQL Server possibilitou criar estruturas de consultas de alto desempenho, que fornecem dados analíticos utilizados em relatórios disponibilizados no portal do IPASGO através de um "Self Service BI'.

Além disso, graças à alta disponibilidade da plataforma de dados da Microsoft, agora os sistemas do IPASGO estão sempre disponíveis para emissão de guias de atendimentos através da rede credenciada a qualquer hora. Para garantir esta disponibilidade as bases de dados são espelhadas para outro síte através do recurso 'AlwaysOn'. Agora a média de conexões simultâneas é de cerca de 300, com picos superiores a 600 conexões.

A segurança das informações também foi melhorada, por meio de uma auditoria em sistemas considerados críticos através da função 'Audit' do SQL Server.

"Após a implementação, logo de início foi possível notar outros benefícios, como aplicações quase que 100% do tempo disponíveis e possibilidade de relatórios de acesso às tabelas críticas ao Instituto", explica Oliveira. Além do SQL Server, o IPASGO utiliza outras tecnologias Microsoft, como Windows Server (cluster, active directory, remote desktop services) e Visual Studio.

Deixe seu comentário