Experiência aumentada, humanização de dados e comércio socializado são tendências em 2020

0
4

A velocidade das transformações só aumenta e o comportamento do consumidor e dos mercados já apontam novas direções para 2020. Para entender este ambiente, a Isobar, agência global de transformação digital e criatividade da DAN, desenvolveu o estudo 'Humanidade Aumentada: o Relatório de Tendências para 2020 da Isobar'.

Idealizado por especialistas em estratégia e inovação da agência de 85 escritórios em 45 Países, o relatório oferece insights & inspiração de alto nível para profissionais de marketing e comunicação. O conceito 'Humanidade Aumentada' foi cunhado pela Isobar em 2017 e define como a humanidade pode trabalhar em harmonia com a tecnologia para expandir e enriquecer a vida das pessoas. O estudo identificou cinco tendências principais e explica como a criatividade e as 'experiências criativas' serão fundamentais para as empresas e as marcas em 2020 e nos anos seguintes.

Jean Lin, CEO Global da Isobar, disse que "mais do que nunca, a criatividade se tornou o maior diferenciador das marcas e um imperativo estratégico para a transformação dos negócios. Esse relatório oferece tanto uma visão estratégica quanto inspiração para que os profissionais de marketing globais tenham sucesso em 2020 por meio de experiências baseadas em ideias que garantirão o crescimento dos negócios na próxima década."

O conceito de 'Consumidor Empoderado' é chave para o relatório de 2020. Ele foi elaborado com base nas principais conclusões do Relatório da Isobar sobre a Experiência do Cliente X que revelou como os profissionais de marketing estão usando a criatividade de forma persistente para transformar sua forma de lidar com a experiência dos clientes. Ele explica como a nova década traz grandes desafios, ao mesmo tempo em que também traz um vasto rol de oportunidades através de uma abordagem centrada nos clientes vinculada ao uso de tecnologias. A oportunidade aqui é promover mudanças com propósito que nos ajudem a reformular o mundo: o trabalho, viagens, a saúde, o bem-estar, o entretenimento, a mídia, o comércio, as comunidades, a criatividade e o ativismo.

O relatório anual 'Realidade Aumentada' foi elaborado para inspirar as empresas com as possibilidades existentes e identificar oportunidades nos desafios. Ele ensina como navegar nesse novo cenário de forma a manter os negócios e as marcas na vanguarda. Cada capítulo descreve por que esses desenvolvimentos são importantes, exemplos-chave das tendências em ação, por que as empresas precisam estar cientes a respeito delas e como podem tirar proveito do seu potencial positivo. As cinco principais tendências para 2020 são:

Experiência Aumentada – como a tecnologia está aprimorando o mundo físico para criar experiências inesperadas e alegres. Destaque para a utilização massiva de tecnologia para story telling, interação por gestos, imersão dentro de casa e a evolução dos smart speakers de um simples assistente para um meio de novos tipos de story telling e interação. Essas funcionalidades permitirão as marcas tornar os ambientes verdadeiros meios de ativação, os conteúdos verdadeiramente "mágicos" e a audiência um verdadeiro agente nas experiências.

Humanização de Dados – como conjuntos de dados, algoritmos e a Inteligência Artificial estão se tornando cada vez mais 'humanizados', com emoção e personalidade. Isso será possível através da aplicação de tecnologias que identifiquem aspectos emocionais e sensíveis em grandes volumes de dados, a utilização de informações relativas a bem-estar, a combinação de Inteligência Artificial com análise humana, dentre outros. Com isso, as marcas poderão atender de forma mais efetiva as expectativas emocionais dos consumidores, consolidar uma visão positiva do uso de dados e até cria uma nova área, a de Responsabilidade Social de Dados.

Comércio Socializado – como a tecnologia está colocando as pessoas no coração de como pesquisamos, compramos e compartilhamos. Veremos então o crescimento do comércio peer-to-peer, da venda direta ao consumidor, de áreas de compras em redes sociais e até a integração da tecnologia blockchain em processos fabris e produtos de massa. Desta forma, será fundamental que as marcas garantam que seus espaços nos shoppings em redes sociais sejam transacionais, além de reimaginar a experiência de seus websites e ver seus consumidores como verdadeiros consultores de venda no peer-to-peer.

Parentesco Digital – como a tecnologia está ajudando a encontrar e promover comunidades importantes para todos. Com isso, veremos o crescimento de abordagens de micro-segmentação, relacionamento com redes de nicho, o rastreamento da influência em redes sociais e até uma busca por uma maior conexão efetiva dentro das redes sociais. Neste cenário, explorar uma segmentação com significado, a revisão do mix de redes sociais, recompensar hábitos de convivência saudáveis e transparência nas interações são grandes oportunidades para as marcas.

Ativação Pós-propósito – como a tecnologia está ajudando as marcas a redescobrir e ativar seu propósito de impacto. Algumas iniciativas em alta são marcas cívicas (engajadas em causas sociais), a cooperação ampla para realização de projetos, a busca por maior inclusão e o uso da tecnologia para causas positivas. Para se inserir neste contexto, as marcas devem internalizar o conceito de humanidade aumentada, endereçar todos os touching points, realizar ativações em torno de seu propósito e ter a habilidade de agir por meio de parcerias.

Deixe seu comentário