Softex firma acordo com argentina Cessi para impulsionar negócios na área de TICs

0
21

Um mês depois de firmar parceria com a Fundación Sadosky, da Argentina, para fomentar negócios na área de tecnologias da informação e comunicações (TICs), a Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex) anuncia que firmou novo acordo com outra instituição argentina, desta vez a Câmara de Empresas de Software e Serviços Informáticos (Cessi). A aliança fez parte do lançamento, em São Paulo, da Rede ArgenTIna de TI, que tem como objetivo impulsionar negócios tecnológicos entre companhias de ambos os países.

Assinado na noite da última segunda-feira, 11, pelo presidente da Softex, Ruben Delgado, e por José María Louzao Andrade, presidente da Cessi, o acordo de cooperação prevê, entre outras iniciativas, o desenvolvimento de um modelo de inovação tecnológica internacional para o trabalho conjunto envolvendo TICs, principalmente nas verticais de saúde, transporte, segurança, energia e educação. O objetivo é estimular a geração de uma maior gama de produtos e serviços, permitir o acesso a novos mercados e identificar novas oportunidades de negócios.

Também fazem parte das ações previstas o intercâmbio permanente de informações sobre a indústria de ambos os países; a coordenação de uma agenda de temas comuns para apresentação às autoridades governamentais do Brasil e da Argentina envolvendo políticas públicas e comércio internacional; organização de missões comerciais conjuntas para desenvolver e incentivar a abertura de novos mercados; promoção da articulação entre parques, polos e clusters nacionais tecnológicos e também de padrões e normas de qualidade.

"Com este acordo, e com o que firmamos recentemente com a Fundación Sadosky, pretendemos reforçar os laços comerciais com a Argentina dentro da estratégia maior de cooperação e de integração tecnológica do Mercosul estabelecida pelo governo federal. Buscamos ainda abrir novos mercados no exterior que sejam interessantes para ambos os países", explica Ruben Delgado, citando como potenciais mercados-alvo a América Latina, Europa e Ásia.

Deixe seu comentário