Startup brasileira quer democratizar o uso de realidade aumentada no mercado de e-commerce

1
10

A necessidade de vender online durante a pandemia fez com que o mercado de e-commerce desse um verdadeiro salto em 2020, com movimentação de R$ 126 bilhões e crescimento de 68% ante o ano anterior, segundo a ABComm. No entanto, o boom também fez o consumidor se perguntar: "E a experiência de provar ou testar o produto antes da compra?". Nesse contexto, surge a CodeCoast, startup voltada para realidade aumentada, que tem como um de seus principais propósitos democratizar o uso da tecnologia no mercado de e-commerce brasileiro.

Fundada em setembro de 2020 pelos empresários Marcelo Dóro e Caio Biel, a startup busca, por meio da realidade aumentada e da computação gráfica, facilitar a vida de empreendedores na venda de produtos online e já conta em seu portfólio de clientes grandes marcas como Coteminas (MMartan e Artex), Cavaletti, Móveis Gruber e Breton.

"O consumidor final está ficando cada vez mais criterioso no momento de efetuar a sua compra online, buscando experiências inovadoras e ferramentas que auxiliem na assertividade de sua decisão e é por isso que acreditamos que qualquer e-commerce, independentemente do tamanho e segmento, pode fazer uso dessa tecnologia", destaca Marcelo Dóro, CEO da CodeCoast.

Com o modelo Software as a Service, a startup trabalha com remuneração pontual ou mensal, onde o cliente faz o investimento no setup do projeto e uma receita recorrente mensal para a utilização da plataforma. "Participamos de todo o processo de digitalização 3D dos produtos dos nossos clientes, desde o levantamento dos requisitos, projeto, desenvolvimento e implantação, até o suporte e manutenção de longo prazo", explica o COO da startup, Caio Biel.

Realidade Aumentada em expansão

Apenas o mercado de Realidade Aumentada deve movimentar cerca de US$ 8,8 bilhões neste ano e alcançar a marca de 21 bilhões de dólares em 2024. Com suas soluções e investimento próprio, a CodeCoast vem crescendo, em média, 30% ao mês. Para expandir o negócio, a startup realizou sua primeira captação por meio de financiamento coletivo na plataforma de crowdfunding da SMU. Em menos de 48h, a empresa bateu a meta de R$ 500 mil em reservas. No modelo, os investidores fizeram aportes mínimos de R$ 3 mil em troca de 10% de participação na startup.

Com os recursos levantados, a Code Coast projeta utilizar o investimento para impulsionar seu crescimento no mercado nacional e internacional. "O mercado de Realidade Aumentada no Brasil ainda é pouco explorado, o que nos deixa em um oceano de oportunidades e crescimento. A captação vai nos ajudar nessa fase inicial de expansão, captação de novos clientes e democratização da realidade aumentada para o e-commerce brasileiro", finaliza Ismael Nascimento, CTO da startup.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário