Fornecimento de energia para data centers no Brasil deve movimentar US$ 460 mi em 2017

0
0

As tendências positivas associadas aos mercados de TI, particularmente a terceirização de infraestrutura, devem impulsionar a indústria de data centers no Brasil e estimular a demanda por backup por meio de conjuntos geradores a diesel, sistemas de refrigeração, servidores e dispositivos de fornecimento de energia. É o que aponta análise da Frost & Sullivan, a qual revela que, em 2012, o mercado de fornecimento nacional de energia para data centers movimentou US$ 240 milhões. A estimativa é que este número praticamente dobre em 2017, quando a receita do setor é estimada em US$ 460 milhões.

No curto prazo, o crescimento dos fornecedores de energia para data centers no país será impulsionado, segundo a consultoria, pela demanda do segmento de data center vertical, a fim de manter o ritmo com requisitos de eficiência energética e inovação tecnológica. A necessidade de densificação dos sistemas de refrigeração altamente eficientes e servidores de prateleiras poderão estimular o desenvolvimento de longo prazo do mercado.

"A crescente popularidade da infraestrutura dos sistemas de gerenciamento dos data centers (DCIM), devido às altas tarifas de energia elétrica no Brasil e da ênfase na eficiência energética, vai alimentar as receitas do mercado", disse o analista Gustavo Stainoh da área de energia da Frost & Sullivan. "Na verdade, as oportunidades DCIM no país são promissoras visto que as instalações em construção já estão adotando esta solução", completou.

Ainda de acordo com a consultoria, além de soluções de gerenciamento de energia, como sistemas de DCIM, os data centers estão procurando soluções ecologicamente corretas que ajudam as empresas a reduzir despesas operacionais associadas ao consumo de energia. Por este motivo desenvolvedores de projetos irão preferir soluções integradas que contemplem infraestrutura como um todo e não como componentes individuais, já que tais sistemas integrados permitem um acompanhamento eficaz e implicam na redução de consumo de energia.

No entanto, enquanto há uma intensificação da demanda para uma ampla variedade de soluções de energia em data centers, fornecedores de componentes brasileiros não se beneficiaram com isso, visto que os produtos importados dominam o mercado. Segundo a Frost & Sullivan, não há estimativa de que este cenário mude, enquanto as taxas de importação permanecerem baixas.

Deixe seu comentário