O que é XaaS, e como podemos tirar proveito desse conceito?

0
32

Sabe quando comentamos que hoje em dia tudo é muito mais fácil? É porque é mesmo. Se queremos assistir a um filme, basta fazer login em um dos serviços de streaming que assinamos. Se estamos atrás de um livro é só realizar o download da versão e-book sem sair do sofá. Precisamos fazer compras? Existem aplicativos que entregam as sacolas na porta de casa. Os celulares e computadores substituíram locadoras, bibliotecas, supermercados e muitos outros serviços, e essa revolução tem um nome: XaaS.

XaaS, na verdade, é um acrônimo para "X as a Service", que em português seria "qualquer coisa como um serviço", com a letra X significando uma incógnita, uma infinidade de possibilidades. É literalmente isso que significa XaaS, qualquer coisa pode ser um serviço! Tudo pode ser substituído por aplicativos e plataformas inteligentes que façam o trabalho para os usuários.

Existem diversas siglas parecidas, que podem confundir novos usuários. SaaS (Software as a Service), PaaS (Platform as a Service), IaaS (Infrastructure as a Service), FaaS (Fintech as a Service) e BaaS (Bank as a Service) são alguns exemplos de modelos de serviços em cloud que se encaixam dentro da definição de XaaS. Os serviços podem ser de diversas áreas diferentes, como logística, comunicação ou até mesmo bancos, mas possuem uma coisa em comum: a natureza tecnológica do "on-demand" (sob-demanda).

O que eles trazem de tão atrativo, no entanto, para os usuários e empresas que adotam sua utilização? Normalmente, empresas desenvolvedoras oferecem os serviços, softwares e plataformas para companhias interessadas, que só precisam pagar pela licença para fazer uso dos sistemas. Não há necessidade de instalação, ambientes para execução, planejamento e desenvolvimento, nem de mão de obra para fazer a manutenção dos serviços. Não há preocupação com banco de dados, segurança ou sistemas operacionais – a empresa usufrui dessas plataformas como serviços contratados e prontos para o uso.

Empresas de porte pequeno e médio conseguem, através do modelo XaaS, oferecer maior competitividade às empresas maiores, que possuem a infraestrutura e a mão-de-obra necessárias para desenvolver seus próprios métodos e meios. PMEs não precisam se preocupar com investimentos na compra de hardware, software e colaboradores especializados para manutenção e configuração – diminuindo, assim, os custos dos serviços a apenas uma fração do que seria gasto desenvolvendo as próprias soluções.

Apesar de ser um grande vértice da transformação digital, o XaaS não seria possível sem uma tecnologia que, apesar de muito atual, já não impressiona mais ninguém: a famosa nuvem. A computação em nuvem (ou cloud computing) garante que, através da conectividade, recursos, dados e plataformas sejam hospedados e oferecidos remotamente aos usuários, sem a necessidade de ocupar espaço em hardwares. Quando vamos ouvir uma música em um dos serviço de streaming digital, por exemplo, não temos que nos preocupar em baixar o arquivo MP3, nem se nosso celular tem espaço para aquilo. Isso acontece porque a música já está hospedada em um outro sistema, que disponibiliza o acesso a quem quer que pague por ele. Com o XaaS, é o mesmo conceito. As plataformas e softwares desenvolvidos podem ser oferecidos apenas com uma simples conexão de internet e uma senha de acesso, dispensando downloads, instalação e comprometimento de memória do hardware. Por conta da cloud computing, também é possível que uma equipe trabalhe utilizando o mesmo software, mas cada um em um ponto remoto, aumentando a rapidez e a produtividade.

É um clichê dizer que devemos ficar ansiosos para o que o futuro nos reserva. Sempre estivemos ansiosos, e nossa curiosidade com o que vem por aí não tem fim. Mas, no caso do XaaS, é possível afirmar com sinceridade que há muita esperança à frente. Esperança de que, cada vez mais, nossas vidas sejam facilitadas pela tecnologia, e que nossas rotinas estejam em perfeita simbiose com nossas inovações.

Caio Lopes, cofundador e CTO da Mobile2you.

Deixe seu comentário