Presidente do grupo Oki diz que aquisição da Itautec é um investimento de longo prazo

0
0

"O objetivo do grupo japonês Oki ao adquirir as operações da brasileira Itautec é de longo prazo, para obter retorno depois de 2016. Vamos nos concentrar em melhorar a qualidade da fabricação local de caixas eletrônicos (ATMs), tanto a parte operacional quanto de custos, e aumentar a participação no mercado brasileiro, como já acontece no mercado mundial". A informação é de Hideiche Kawasaki, presidente mundial da Oki Electric Industry, que está visitando o Brasil e concedeu entrevista à imprensa nesta terça-feira, 13, em São Paulo.

Segundo ele, os investimentos do grupo vão acompanhar o crescimento do mercado brasileiro, focados nos segmentos de ATMs e soluções bancárias comerciais. Para isso, a empresa está expandindo fisicamente a fábrica situada na cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo, e melhorando os aspectos de produção, com metodologias japonesas, visando maior agilidade e redução de custos operacionais.

Para Wilton Ruas, diretor geral & COO da Oki Brasil, uma das apostas da empresa para conseguir esse objetivo é o novo modelo de ATM sustentável, que estará exposta no Ciab/Febrabn, que acontece no início de junho. Ela permite o reaproveitamento de notas usadas no depósito para utilização em outros saques, reduzindo assim o custo de reposição de notas, além de proporcionar, por consequência, a redução de custos de gerenciamento e logística. Outra solução é integrada com dispositivos móveis, o Mobi Cash, que permite ao cliente programar um saque na ATM, cadastrar o pagamento de contas e realizar a transação no PDV de uma vez só, reduzindo filas de atendimento.

Kawasaki esclarece que a Okidata, que também fabrica impressoras, continuará a atuar nesse mercado como uma divisão independente, "pois ela se dedica à importação e comercialização, porém não há planos para produção local". "Isso, à medida do tempo, vamos avaliar as possibilidades", disse o executivo. Apesar de a empresa ter sido fundada há mais de cem anos no segmento de telecomunicações, ela não pretende atuar nesse setor no Brasil.

"Vamos nos fortalecer no mercado brasileiro, crescendo de forma orgânica. No futuro, a partir do Brasil, poderemos conquistar o mercado da América do Sul e América Central. Nosso objetivo este ano é crescer 10% globalmente", explica Kawasaki.

No ano fiscal encerrado em 31 de março, o grupo Oki Eletric Industry registrou receita líquida de 483,1 bilhões de ienes (o equivalente a US$ 4,73 bilhões) contra 445,8 bilhões de ienes em 31 de março de 2013 (US$ 4,46 bilhões).

Deixe seu comentário