Deslocamento de cargas de trabalho para nuvem pública traz risco para Cisco, diz JP Morgan

0
0

A adoção crescente da computação em nuvem pelas corporações tem exigido tem exigido infraestruturas de comunicações cada vez mais robustas, mas a tendência é o uso de hardware de baixo custo nos data centers, incluindo equipamentos de rede, o que é uma perspectiva nada boa para a Cisco Systems, de acordo com um relatório divulgado nesta sexta-feira, 13, pelo JP Morgan.

O documento do banco americano aponta os gastos com serviços de nuvem pública serão responsáveis por 7% do mercado global de data centers, estimados em US$ 215 bilhões neste ano. No relatório enviado aos clientes, o analista do JP Morgan, Rod Hall, prevê uma queda nos investimentos em infraestrutura tradicional de data center de 2% ao ano no período de 2016 a 2020.

O maior problema para os fornecedores de tecnologia legada, segundo Hall, é que as cargas de trabalho de computação estão migrando rapidamente para os provedores de infraestrutura como serviço (IaaS, na sigla em inglês), tais como a Amazon Web Services, Google e a divisão Azure da Microsoft, através dos quais os clientes alugam servidores e sistemas de armazenamento de dados através da internet.

De acordo com uma pesquisa JP Morgan com CIOs de grandes empresas, mais de 40% das cargas de trabalho podem migrar para a nuvem pública nos próximos cinco anos.

"As cargas de trabalho quase triplicaram e a nuvem pública representa uma mudança de arquitetura monumental, que não dá sinais de diminuir e é suscetível de criar um efeito cascata grande em todo o mercado de tecnologia", escreveu Hall. "[Nós] continuamos a acreditar que esse crescimento representa um risco material para empresas como a Cisco." Hall acrescentou: "Embora as empresas necessitem de maior largura de banda para aplicações como big data, isso inevitavelmente as leva as optar por implantar soluções mais rapidamente em nossa opinião."

A Cisco divulga os resultados financeiros do seu terceiro trimestre fiscal no dia 18 deste ano, após o fechamento dos mercados.

Deixe seu comentário