Certificadora de logística reversa de embalagens eureciclo valoriza marcas ao consumidor

0
167

Criada em 2017 com o objetivo de trazer uma solução para empresas que usam embalagens para comercializar seus produtos – papel, papelão, alumínio, plásticos, vidro – e criar valor para essa cadeia logística reversa e reciclagem, a empresa eureciclo criou um mecanismo de oferta e demanda de certificados de reciclagem rastreáveis, que resultam em um fluxo de contínuos investimentos para o desenvolvimento do setor. Hoje ela contabiliza a compensação de mais de 214 mil toneladas de resíduos pós-consumo e a remuneração dos operadores ultrapassou R$ 11 milhões.

A tecnologia por trás da solução utiliza o conceito de compensação ambiental, amplamente aplicado na Europa e que contribuiu para que a Espanha, por exemplo, saltasse de 4,7% de embalagens recicladas em 1998 para 78,8% em 2018, de acordo com a Ecoembes. Dado que as embalagens após o uso pelo consumidor têm um destino difuso, ainda mais em um país de dimensões continentais, a compensação ambiental é considerada uma forma mais viável técnica e economicamente para cumprir com a logística reversa desses resíduos.

No Brasil o mercado de reciclagem ganhou força após a aprovação PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos nº 12.305/2010), criada com o objetivo de reduzir e destinar corretamente os resíduos sólidos gerados no país. Ela traz o conceito de logística reversa e a responsabilidade dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes pela sua implementação com relação às embalagens em geral após o uso do consumidor, com meta progressiva estabelecida em acordo setorial, atualmente definida em 22%.

Ao direcionar para reciclagem resíduos equivalentes aos seus, em peso e material, as empresas de bens de consumo, remuneram os operadores de coleta e triagem pelo serviço ambiental prestado e recebem os Certificados de Reciclagem como forma de comprovação legal. É um mecanismo financeiro que ajuda a equilibrar os impactos dos resíduos sólidos na natureza, incentiva a cadeia de reciclagem de materiais complexos e oferece sustentabilidade financeira para o setor.

Para controlar e comprovar a coleta e envio correto para reciclagem autorizada, a eu reciclo criou uma plataforma de gestão de dados que usa inteligência artificial com um algoritmo que faz o cálculo da massa; faz a rastreabilidade, gera estatísticas para órgãos ambientais; conferência e validade da nota fiscal da remessa do material reciclado e uso de blockchain para dar mais governança ao processo e emissão do Certificado de Reciclagem.

Thiago Pinto, CEO e cofundador da eureciclo, explica que o certificado é como um token que pode ser negociado, pois existe um mercado de oferta de quem tem material reciclado em excesso para ofertar àqueles que precisam comprovar a compensação a fim de atingir o índice estabelecido por Lei. Por isso a ideia de criar uma bolsa de reciclagem no Brasil, nos moldes do que já existe na Inglaterra. "É um mecanismo que compensa o passivo ambiental do produtor, além de garantir ao mesmo estampar o selo de produto reciclado nas embalagens, atraindo a preferência do consumidor".

Mercado em crescimento

Com 137 clientes em 2017 e 712 no ano seguinte, a empresa passou por um crescimento exponencial, fechou o ano de 2020 com mais de 3,7 mil parceiros e, hoje, conta com mais de 4,1 mil, o que representa um salto bastante relevante em pouco mais de três anos.
Hoje, a empresa impacta cerca de 17 mil vidas, levando melhoria de renda e de condições de trabalho para pessoas que atuam em operadores homologados em seu sistema e suas famílias. É certificada como Empresa B, o que garante que o seu negócio tem o objetivo de resolver problemas socioambientais e de ser cada vez melhor para o mundo. Conta com mais de 70 profissionais no Brasil e no Chile, país por onde iniciou sua expansão internacional em 2017.

Selo eureciclo

Criado em 2016, o selo eureciclo tem o objetivo de promover impacto entre as empresas e a cadeia de reciclagem e mostrar aos consumidores uma revolução sustentável, com confiabilidade e segurança. Ele indica que as marcas que o estampam em seus rótulos valorizam e investem no trabalho da reciclagem, por meio da compensação de pelo menos 22% da massa total de embalagens vendidas no país. Ele se destina às marcas que buscam comunicar sua preocupação e seus esforços em mitigar os impactos do seu negócio no meio ambiente.

A "Pesquisa Akatu 2018 – Panorama do Consumo Consciente no Brasil: desafios, barreiras e motivações" mostra que a expectativa dos consumidores é que as marcas façam mais do que a legislação exige e cuidem da sociedade como um todo. Ao encontrar a certificação em uma embalagem, o consumidor sabe que optou pelo produto de uma empresa com responsabilidade socioambiental que gera incentivos para que a cadeia de reciclagem cresça no país e recicle cada vez mais.

Incentivo à reciclagem no Brasil

O mercado de reciclagem brasileiro tem um grande potencial de crescimento, considerando a densidade demográfica, o crescimento industrial e a geração de resíduos, que possibilitou a coleta de aproximadamente 70,2 milhões de toneladas em 2018, segundo o Panorama de Resíduos Sólidos no Brasil.

O Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) contabilizou, em 2019, cerca de 800 mil profissionais em atividade no Brasil, sendo que 70% eram mulheres e 66% se consideravam negros. Eles são responsáveis por 90% da coleta de todos os resíduos e as estimativas mostram que o número de pessoas que vivem desse trabalho varia de 300 mil a 1 milhão, conforme o levantamento do MNCR e Departamento de Economia da Universidade Federal da Bahia.

A eureciclo é otimista com o cenário da reciclagem no Brasil, já que empresas, reguladores, Ministério Público e sociedade estão mais próximos para pensar em boas soluções e possibilitar que o desenvolvimento sustentável seja uma realidade.

Expansão internacional

Em 2017, a eureciclo chegou ao Chile pelo programa "Start-Up Chile" e lançou, no ano seguinte, o selo todosreciclamos, que já conta com mais de 250 marcas parceiras e mais de 33 mil seguidores nas mídias sociais, com o resultado animador de mais de 374 toneladas de resíduos compensados. Atualmente o selo se posiciona como um importante influenciador, apoiando o mercado de reciclagem chileno, com incentivo à economia circular por meio da tecnologia de compensação ambiental de embalagens.

Um exemplo desse trabalho é a participação da organização nos debates de selos de sustentabilidade com a Sofofa (Sociedade de Fomento Fabril) para melhorar a comunicação sobre o assunto na região. A todosreciclamos também participa, junto a outras grandes empresas de consumo, da criação do roadmap no Pacto de Plástico (Plastics Pact by the Ellen MacArthur Foundation).

Também planeja criar uma subsidiária no mercado uruguaio no segundo semestre desse ano; e já tem um colaborador na França para avaliar a entrada no mercado daquele país.

ESG FORUM

A TI INSIDE promove dias 16 e 17 de junho o ESG Forum, evento que vai discutir através de painéis de discussão os desafios para se tornar uma empresa ESG, governança corporativa, mudanças climáticas e capital humano. Mais informações, grade do evento, inscrições no site www.esgforum.com.br ou pelo telefone/WhatsApp 11-3138-4619 info@tiinside.com.br

Deixe seu comentário