Pressão de acionista para spin-off do Yahoo pode levar à demissão de Marissa Mayer

0
0

Assim como ocorreu com Scott Thompson em 2012, ex-presidente-executivo do Yahoo, que sob intensa pressão do investidor ativista Daniel Loeb à época renunciou ao cargo, a atual CEO da companhia Marissa Mayer está sob fogo cruzado por causa do retorno abaixo do esperado e da venda das participações do Yahoo no Alibaba, maior empresa de comércio eletrônico da China, e no Yahoo Japan, maior portal de internet no Japão.

Desta vez, porém, o "algoz" é outro. Ele atende pelo nome de Jeff Smith, investidor que dirige a Starboard Value, empresa especializada em campanhas de acionistas ativistas. Para dar uma ideia do seu histórico, a Starboard foi a empresa responsável a fazer com que a AOL, o ex-colosso da internet, vendesse o site de notícias Patch.com por causa das constantes quedas nas receitas com publicidade.

Por enquanto, Smith não está pressionando Marissa a demitir-se — à maneira de Loeb, que pressionou publicamente o Conselho de Administração e a diretoria executiva. Mas ele deu a entender que está disposto a fazer esse tipo de demanda, se o Yahoo não seguir o seu plano de separação da empresa.

O plano de Smith, basicamente, é separar o Yahoo em duas empresas. Uma delas consistiria na atividade principal, que é o Yahoo.com. A segunda empresa — tecnicamente a mesma companhia —, que ficaria responsável por gerenciar as participações do Yahoo no Alibaba e no Yahoo Japan.

De acordo com relatórios e análises, a razão de Smith querer a separação do Yahoo está no fato de acreditar que as participações do Yahoo no Alibaba e no Yahoo Japan valem mais do que os cerca de US$ 40 bilhões de valor de mercado da companhia. Na opinião dele, o valor de mercado do Yahoo está sendo mantido artificialmente baixo por dois motivos — alguns acionistas temem que quando o Yahoo finalmente vender suas participações no Alibaba e no Yahoo Japan terão de pagar impostos cheios, elevados, relativos à venda; e outros acionistas receam que a diretoria executiva vá contingenciar a receita obtida com a venda e usá-la em aquisições que possam representar um desperdício.

A visão de Smith é que se o Yahoo for desmembrado, a empresa fora do core business não terá de pagar quaisquer impostos pelas participações no Alibaba e Yahoo Japan, porque ela não seria obrigada a vendê-las. Além disso, os acionistas saberiam que as ações do Alibaba e Yahoo Japan não poderiam ser vendidas para financiar mais aquisições.

O plano de Smith já foi tentado antes. Segundo uma fonte familiarizada com o assunto disse ao site Business Insider, o Yahoo já considerou separar a parte de participações do seu negócio principal por volta de 2010. A ideia não vingou, mas agora alguns dos principais acionistas se mostraram interessados ??em saber mais sobre a prosposta de Smith, e isso deve aumentar as pressões, principalmente sobre Marissa Mayer.

Deixe seu comentário