Aplicativo facilita troca e venda de moedas estrangeiras

0
21

Facilitar o encontro entre pessoas interessadas em troca de moedas. Com esta proposta está disponível no Brasil o aplicativo Monepp, que, inspirado no Uber, pretende oferecer ao público inúmeras possibilidades na compra e venda de moedas estrangeiras.

A utilização do aplicativo é simples e gratuita. Basta cadastrar-se e selecionar a opção de compra ou venda. Os interessados em venda devem informar quais moedas estão disponíveis, quais aceitam em troca e por qual cotação. Para os que desejam comprar, é necessário apenas o cadastro e, em seguida, a busca por moeda e região.  O aplicativo está disponível inicialmente apenas para o sistema Android (Play Store).

Assim como o Uber, o Monepp funciona com sistema de geolocalização, que possibilita ao usuário determinar o raio de proximidade que deseja na busca de ofertas. A partir de então, os interessados se comunicam pelo chat do aplicativo e devem marcar encontro presencial para efetivar as trocas combinadas.

"O Monepp, portanto, não realiza e não se responsabiliza pelo câmbio das moedas, apenas promove o encontro de pessoas com este interesse em comum. Além disso, os usuários não possuem nenhum vínculo profissional com a empresa desenvolvedora. Cabe a estes a avaliação da credibilidade e da reputação dos vendedores e compradores no próprio aplicativo, por meio do ranking de avaliações disponibilizado e mantido pelos próprios usuários", explica Felipe Barbosa, CEO do Monepp.

Start up

O Monepp surgiu da vontade de um grupo de amigos interessados em Economia de encontrar mais possibilidades e melhores ofertas para compra de dólar no Brasil. Foi então que Felipe Barbosa, graduando em Economia pela Universidade de Brasília (UnB); Renan Greca, mestrando na área de Redes de Computadores pela Universidade Federal do Paraná (UFPR); e Giancarlo Camilo, formado em Ciência da Computação, também pela UFPR, se reuniram para desenvolver e colocar em prática esta start up brasileira, que contou com o apoio de um grupo de investidores do Paraná para sair do papel.

"Acreditamos que as pessoas devem ter a liberdade para escolher de quem e como querem trocar seu dinheiro, evitando procedimentos burocráticos e buscando praticidade", explica Felipe Barbosa.

Os três sócios se dedicaram plenamente à execução do projeto, que contou com investimentos iniciais de R$ 200 mil desde o final de 2015, quando foi criado e submetido a testes na Venezuela, primeiro mercado a receber o aplicativo.  "No Brasil, pretendemos atingir inicialmente as capitais com maior fluxo de turistas, e, a depender do sucesso do Monepp, expandir para toda a América Latina", declara. O Monepp visa atrair 100 mil usuários até o final de 2016.

Deixe seu comentário