Publicidade
Início Newsletter (TI Inside) Samsung espera perda de outros US$ 3,1 bilhões com fim da fabricação...

Samsung espera perda de outros US$ 3,1 bilhões com fim da fabricação do Galaxy Note 7

0
Publicidade

A Samsung Electronics disse que espera a perda de outros US$ 3 bilhões em receitas devido a decisão de deixar de fabricar definitivamente o smartphone Galaxy Note 7 por causa do grande número de aparelhos que explodiram e pegaram fogo, o que aumentará o impacto financeiro para o equivalente a cerca de metade do lucro da divisão de celulares no ano passado.

Em um comunicado emitido nesta sexta-feira, 14, a Samsung disse que prevê uma queda no seu lucro operacional de cerca de 2,5 trilhões wons (o correspondente a US$ 2,2 bilhões) nos últimos três meses do ano e de cerca de 1 trilhão de wons no primeiro trimestre do ano que vem (US$ 1 bilhão).

Somado à previsão anterior de perda de 2,6 bilhões de wons no terceiro trimestre em razão da descontinuidade do Note 7, o prejuízo total da Samsung deve ficar em cerca de metade do lucro operacional da divisão de celulares em 2015, que foi de 10,13 trilhões de wons.

As projeções incluem as vendas perdidas e os custos relacionados à interrupção da fabricação do Note 7. O negócio de telefonia móvel da Samsung respondeu por cerca de um terço do seu lucro global no ano passado. Para tentar amenizar o impacto, a fabricante disse que agora vai tentar expandir as vendas de seus modelos emblemáticos como o Galaxy S series.

Na quinta-feira, a Samsung disse que vai oferecer um crédito de US$ 100 para clientes nos EUA que trocarem o Galaxy Note 7 por outro smartphone da marca. Além disso, nesta sexta-feira fabricante disse que irá promover “mudanças significativas” em seu processo de garantia de qualidade, após receber inúmeras críticas à má comunicação da empresa e a resposta lenta às reclamações dos consumidores, particularmente depois surgiram relatos no mês passados que alguns Note 7 tinham pegado fogo.

A Samsung abocanhou 22,5% do mercado mundial de smartphones, em unidades vendidas, em 2015, seguida pela Apple, com 15,9%, segundo o Gartner. Com agências de notícias internacionais.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile