Publicidade
Início Notícias Gestão DocuSign dobra de tamanho no Brasil em 2020

DocuSign dobra de tamanho no Brasil em 2020

0
Publicidade

A DocuSign anunciou na última quinta-feira, 11, o balanço de resultados financeiros obtidos em 2020. Ano a ano a empresa cresceu mais de 50%, atingindo US$ 1,5 bilhão em receitas e conquistando uma taxa de retenção líquida recorde de 123%. No Brasil ela dobrou de tamanho.

Globalmente, a DocuSign obteve crescimento da sua base de clientes e totalizou mais de 892 mil clientes e milhões de usuários em 180 países.

“O ano fiscal de 2021 foi um ano marcante para a DocuSign. Nós nos tornamos um pilar da anywhere economy’ que permite que as pessoas façam cada vez mais qualquer coisa na vida e no trabalho de qualquer lugar”, afirma Dan Springer, CEO da DocuSign. “Nesse processo, aumentamos nossos negócios em quase 50%, atingimos quase US$ 1,5 bilhão em receitas e conquistamos uma taxa de retenção líquida recorde de 123%. Acreditamos que esse desempenho representa uma aceleração da tendência contínua de transformação digital de contratos.”

Dados financeiros e números do ano fiscal de 2020:

  • A receita total foi de US$ 1,5 bilhões, um aumento de 49% ano a ano. A receita de assinaturas (subscription revenue) foi de US$ 1,4 bilhões, um aumento de 50% na média anual. Os serviços profissionais e outras receitas foram de US$ 71,7 milhões, um aumento anual de 29%;
  • O faturamento foi de US$ 1,7 bilhões, um aumento de 56% em relação ao ano anterior;
  • A margem bruta GAAP (Princípios Contábeis Geralmente Aceitos, em português) foi de 75%, mesma marca do ano anterior. A margem bruta não-GAAP se manteve 79% em 2019 e 2020
  • O prejuízo líquido GAAP por ação básica e diluída foi de US$ 1,31 em 186 milhões de ações em circulação, comparado a US$ 1,18 em 177 milhões de ações em circulação no mesmo período do ano fiscal de 2020.
  • O lucro líquido não-GAAP por ação diluída foi de US$ 0,90 em 204 milhões de ações em circulação, comparado a US$ 0,31 em 191 milhões de ações em circulação no mesmo período do ano passado;
  • O caixa líquido fornecido pelas atividades operacionais foi de US$ 62,2 milhões, comparado a US$ 45,5 milhões no mesmo período do ano passado;
  • O fluxo de caixa livre foi de US$ 44 milhões, comparado a US$ 15,5 milhões em 2019. O fluxo de caixa incluí uma fração do último trimestre em pagamentos de financiamento conversível de US$ 75,2 milhões;
  • Lucro, equivalentes de lucros, lucros restritos e investimentos foram de US$ 866,5 milhões no final do trimestre.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile