Centro de Operações do Rio e Instituto TIM lançam aplicativo para operação de megaeventos

0
0

Diante dos desafios de uma cidade como o Rio de Janeiro, sede de grandes eventos mundiais, o Centro de Operações do Rio (COR) firmou parceria com o Instituto TIM para o desenvolvimento de um sistema de zeladoria urbana para operação de megaeventos. O aplicativo para dispositivos móveis ZUP RIO – elaborado em conjunto com Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos – passará a ser utilizado por técnicos e agentes de campo a partir desse mês, para registro e atendimento de ocorrências com foco em grandes eventos, envolvendo limpeza urbana, mobilidade e transporte, ordem pública, iluminação e outros temas relacionados à gestão municipal.

"Termos uma ferramenta para geração de informações organizadas e georreferenciadas enriquece a visão do COR e contribui para que realizemos nossa função de coordenar ajustes operacionais em grandes eventos, como os Jogos Olímpicos, e minimizar possíveis impactos negativos de ocorrências na rotina da cidade",  detalha  Pedro Junqueira, chefe-executivo de Operações e Resiliência da Prefeitura do Rio.

O objetivo é oferecer uma resposta mais rápida às demandas e solucionar situações emergenciais na cidade ao proporcionar uma comunicação mais organizada entre as equipes e acompanhamento do fluxo de resolução. No mês de agosto, cerca de 300 agentes de campo farão uso do  app  no primeiro megaevento que utilizará a metodologia de operação, permitindo o envio de relatos e a publicação de imagens em tempo real. Os informes enviados pelo ZUP RIO são sempre georreferenciados e geram notificações automáticas para as equipes que operam dentro da sala de controle do COR.

"Essa é uma forma inovadora e mais inteligente de lidar com os problemas da cidade. Além de tornar a zeladoria urbana mais dinâmica, ágil e precisa, o sistema permite registrar todo o histórico de atendimento, organizando, documentando e sistematizando as informações. ZUP RIO é um marco na construção de uma cidade inteligente, pois viabiliza o trabalho com Big Data e com segurança dos  dados, ao estabelecer um meio próprio de comunicação", destaca Manoel Horacio, presidente do Instituto TIM.

No Rio de Janeiro, o sistema foi adotado, em dezembro do ano passado, para auxiliar nos trabalhos e demandas da SECONSERVA em atividades como pavimentação e manutenção de vias públicas. Desde o lançamento, 200 agentes públicos da secretaria já utilizaram o sistema, nomeado de ConservaZUP e, por meio dele, enviaram mais de 4,4 mil solicitações. O resultado positivo deste primeiro escopo de uso do sistema repercutiu e tem como desdobramento a expansão do sistema com o lançamento do novo eixo, relacionado à operação de megaeventos. Para tanto, a Secretaria de Conservação, o Centro de Operações Rio e o Instituto TIM investigaram quais seriam as novas funcionalidades e demandas para que ZUP pudesse resolver os gargalos existentes na gestão de grandes eventos – como, por exemplo, a comunicação organizada e estruturada entre equipes.

Solução para cidades inteligentes

Por se tratar de um software livre, o sistema ZUP, desenvolvido pelo Instituto TIM, pode ser adotado por qualquer município que tiver uma equipe técnica e gestora disponível para implantá-lo para gerir seus serviços públicos de forma mais eficiente, transparente e participativa. De fácil administração e com interface sem complicações, ela oi criada para atender às necessidades dos gestores municipais e dos cidadãos no contexto das novas tecnologias da informação e comunicação.

Com a plataforma, os administradores municipais podem gerir melhor os dados referentes aos serviços de zeladoria da cidade, aumentando sua capacidade de planejamento, execução e monitoramento. O sistema está alinhado às diretrizes da Política Brasileira de Governo Digital, que orienta os gestores públicos a atuarem em três pilares: a interação com o cidadão; a melhoria da sua gestão interna; e a integração com parceiros e fornecedores.

Além do Rio de Janeiro, o ZUP também está em operação em São Bernardo do Campo (SP) e em Boa Vista (RR). O case em São Bernardo do Campo foi vencedor na categoria Cidades e Big Data do Prêmio Governarte 2015, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que premia as iniciativas mais inovadoras de governos da América Latina.

Deixe seu comentário