YouTube é bloqueado pela segunda vez no Windows Phone por violar termos de serviço

0
15

Depois de aceitar trabalhar com a Microsoft para desenvolver o novo aplicativo do YouTube para a plataforma móvel Windows Phone, o Google barrou, pela segunda vez, o uso do app no sistema operacional da fabricante. Em maio, o gigante das buscas classificou o aplicativo desenvolvido pela fabricante como ilegal, por permitir aos usuários assistir e fazer download de vídeos sem a exibição de anúncios — sua principal fonte de receita —, propondo, assim, um acordo e as companhias chegaram a um consenso para resolver o impasse.

Ficou decidido, então, que as empresas criariam juntas um produto que não ferisse as regras do Google. O app foi lançado esta semana, mas nesta quinta-feira, 15, o blog All Things Digital obteve a informação que o Google já pediu, novamente, o bloqueio do serviço, alegando que "a Microsoft não fez as atualizações necessárias para permitir uma experiência totalmente caracterizada do YouTube, em vez disso, relançou um aplicativo que viola nossos termos de serviço."

Em resposta, o vice-presidente corporativo e vice-advogado geral da Microsoft, David Howard, disse que a experiência "tem sido frustrante, para dizer o mínimo, para os nossos clientes. Nós sempre tivemos um objetivo: oferecer aos nossos usuários uma experiência YouTube no Windows Phone que está em pé de igualdade com a experiência do YouTube disponível para Android e iPhone. Objeções do Google para a nossa aplicação não são apenas incompatíveis com o próprio compromisso do Google de abertura, mas também envolvem requisitos para Windows Phone que não são exigidos em sua própria plataforma [Android] ou da Apple [iOS] (ambos usam o Google como mecanismo de busca padrão, de claro)".

O executivo completa que o Google "simplesmente não quer que os usuários do Windows Phone tenham a mesma experiência que os usuários da Apple e do Android, e que suas objeções são nada mais que desculpas". Ainda assim, a Microsoft se coloca a disposição para trabalhar com o gigante das buscas a fim de resolver "quaisquer preocupações legítimas que possam ter. Entretanto, mais uma vez solicitamos ao Google que pare de bloquear o nosso app YouTube".

Segundo a carta divulgada em maio exigindo o bloqueio do aplicativo pela primeira vez, o diretor de parcerias globais do YouTube, Francisco Varela, declarou que o aplicativo disponível para o Windows Phone 8 permite que usuários façam download de vídeos do YouTube e impede a exibição de anúncios durante a reprodução de vídeos, além de rodar vídeos que parceiros do YouTube restringiram de certas plataformas. "Essas características prejudicam diretamente nossos criadores de conteúdo e claramente violam os nossos termos de serviço", disse Varela na carta à época.

Deixe seu comentário