NSA coleta milhões de listas de contatos de e-mails pelo mundo, diz jornal

0
0

Os documentos em posse do ex-técnico da CIA, Edward Snowden sobre o programa de espionagem Prism, da Agência Segurança Nacional (NSA) dos EUA e do FBI (polícia federal americana), parecem não ter fim. Novo material fornecido por ele ao jornal The Washington Post apontam que a NSA está colhendo centenas de milhões de listas de contatos de e-mail e de mensagens instantâneas de contas pessoais em todo o mundo, muitos deles de norte-americanos.

De acordo com reportagem publicada na última segunda-feira, 14, o programa de coleta — que não havia sido divulgado antes — intercepta listas de contatos que, juntos, já equivalem a uma fração considerável do número total de contas de e-mails e mensagens instantâneas existentes no mundo. Informações confirmadas ao diário americano por oficiais de inteligência da NSA dão conta que o número de americanos investigados está entre milhões e dezenas de milhões.

Para se ter uma ideia, uma apresentação interna da agência revela que durante um único dia no ano passado, a NSA recolheu 444.743 listas de endereços do Yahoo, 105.068 do Hotmail, 82.857 do Facebook e 33.697 do Gmail, além de 22.881 listas de outros provedores não especificados. A apresentação também mostra que, a cada dia, são recolhidos cerca de 500 mil listas de amigos em serviços de bate-papo, bem como da caixa de entrada de contas de e-mail.

Contudo, uma fonte da NSA afirmou que o foco da agência é desenvolver inteligência contra ações de terroristas, tráfico de pessoas e drogas a partir das informações coletadas, enfatizando, novamente, que a agência não tem interesse em investigar informações pessoais de cidadãos americanos comuns.

E-mails do governo brasileiro

Também alvo da espionagem norte-americana, ao ter as comunicações entre a presidente Dilma Roussef e seus assessores e ministros monitoradas, o governo brasileiro anunciou na última segunda-feira, o desenvolvimento e implantação de um novo sistema seguro de e-mails, primeira medida para ampliar a privacidade e a inviolabilidade de mensagens oficiais.

Segundo informou o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o Serpro será responsável por desenvolver o sistema em parceria com os Correios, sendo que o Ministério das Comunicações deve começar a testá-lo ainda neste mês, com possível ativação em novembro. Bernardo afirmou ainda que também está em fase de desenvolvimento um serviço de e-mail seguro para a população.

Deixe seu comentário