Cresce adesão à tecnologia de pagamento por aproximação nas estradas

0
29

Desde 30 de abril, quando o projeto piloto para o pagamento por aproximação foi implantado, as praças de pedágio da Ecovias e Ecopistas, concessionárias reguladas pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), contabilizaram mais de 100 mil transações neste sistema. A tecnologia está contribuindo para diminuir o contato entre o operador da cabine de pedágio e o motorista, evitar a manipulação de dinheiro e ampliar a proteção contra o coronavírus.

A modalidade de pagamento com a utilização de cartões de crédito e débito que possuam a tecnologia Near Field Communication (NFC), permite a transação sem a digitação de senha para valores inferiores a R? 50. Além disso, o pagamento pode ser feito com a utilização de relógios, celulares e pulseiras, desde que tenham o NFC. "Essa iniciativa demonstra o empenho do Governo do Estado de São Paulo em reduzir os índices de transmissão em todas as frentes, inclusive no pagamento de pedágios", afirma o vice-governador e secretário de Governo, Rodrigo Garcia.

Mais de 42 mil transações nesta modalidade foram registradas nas praças de pedágio da Ecovias, responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, e a adesão têm crescido com o passar do tempo. No segundo mês foi registrado um aumento de 92% no número de transações e, apenas nos 13 primeiros dias julho, já houve um aumento de 51% na comparação com o mesmo período do mês anterior.

Nas praças de pedágios da Ecopistas, que atende o Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto, foram mais de 58 mil transações por este meio. No segundo mês de utilização, foi registrado um aumento de 89% no número de transações na comparação com o primeiro mês e, apenas nos 13 primeiros dias julho, já houve um aumento de 71% na comparação com o mesmo período do mês anterior. "O papel da ARTESP é aperfeiçoar a cada dia os procedimentos e tecnologias disponíveis nas rodovias concedidas de São Paulo. E a adesão da população a essas iniciativas demonstram que estamos sendo assertivos", afirma o diretor-geral da agência, Milton Persoli.
Mecanismo

Ao chegar no local de cobrança, o motorista confere o valor que aparece no visor da maquininha instalada do lado de fora da cabine e, em seguida, aproxima o cartão do leitor. O NFC transmite uma espécie de código que somente a maquininha e o cartão têm acesso e conclui a operação em alguns segundos. Depois aparecerá na tela a mensagem de que o pagamento foi aceito e a cancela será liberada instantaneamente, sem o motorista precisar ter contato direto com o operador de pedágio, dinheiro ou ter que digitar sua senha na máquina.

Deixe seu comentário