Diebold Nixdorf lança solução de autoatendimento DN Series 400 no Brasil

1
224

Diebold-Nixdorf anuncia o lançamento do DN Series 400 no Brasil. Com fabricação local, o terminal de autoatendimento traz como diferencial uma abordagem modular, aberta e always-on para atender as demandas bancárias no mundo digital. Entre os recursos disponíveis estão biometria, reciclador de notas, integração nativa baseada em Internet das Coisas (IoT) All Connect Data Engine, segurança aprimorada e ainda mais flexibilidade para melhorar a experiência dos consumidores e reduzir custos dos bancos. O DN Series 400 parte de um projeto global que atende 100% das necessidades do mercado local.

Elias Rogério da Silva

Mesmo com um mercado estável de ATM nos últimos 5 anos, Elias Rogério da Silva, presidente da Diebold Nixdorf Brasil, destaca que nos próximos 5 anos a previsão é que os bancos vão continuar a adquirir equipamentos para substituir a base de equipamentos antigos que somam cerca de 180 mil unidades (sendo 50% delas da Diebold Nixdorf), trocadas em média entre 7 e 10 anos.

"A maneira como as pessoas compram e movimentam seu dinheiro está mudando mais rápido do que podemos acompanhar. O DN Series 400 enfrenta esses desafios, apresentando uma solução de autoatendimento altamente modular e aberta, em uma abordagem pensada para ajudar a conectar cada vez mais os bancos com seus clientes", explica.

De acordo com o executivo, um dos principais diferenciais do terminal DN Series 400 é justamente a possibilidade de oferecer soluções verdadeiramente alinhadas às demandas de cada tipo de negócio. "Esses terminais trazem o que há de mais moderno na gestão de numerário, segurança, customização para marketing e monitoramento. Isso traz enormes ganhos para os bancos, que podem oferecer uma experiência de uso muito mais dinâmica, com alta disponibilidade garantida. Esta máquina pode ser configurada de inúmeras formas para ser o ponto de encontro entre o real e o digital. A estratégia depende de cada banco, tem alguns que oferecem 150 funcionalidades no ATM e outros apenas 10", explica, acrescentando que com a digitalização abrem-se oportunidades de inovação e novos modelos de negócios, como as oferecidas pela fintechs.

O objetivo é trazer uma plataforma ampla, capaz de suportar todos os principais serviços do mercado, garantindo perfeita integração no ecossistema de canais das organizações bancárias da atualidade e do futuro. "Queremos construir o futuro da relação entre bancos e clientes de todos os tipos. Para isso buscamos entregar mais eficiência, segurança, disponibilidade, inovação e diversidade de serviços, sempre com a possibilidade de também ser mais personalizável. Esse é nosso foco", ressalta o executivo. 

ATM.

O DN Series 400 oferece design desenvolvido com a colaboração de consumidores e clientes de todo o mundo, tela multitouch, sensores de reconhecimento sem contato e diferentes propostas de processamento e gestão de dados (local e em nuvem). Além disso, conta com soluções antifraude de última geração, resistindo a ameaças físicas, lógicas e cibernéticas. Outro ponto em destaque é a presença do módulo de reciclagem de 4ª geração (RM4), que oferece maior espaço e capacidade de operação, dispensador de moedas e recursos de depósito em cheque.

Vale destacar, ainda, o foco em sustentabilidade, nos pilares de viabilidade ambiental, social e corporativo do conceito de ESG. Para tanto, os caixas eletrônicos da nova família DN Series possuem estruturas mais leves, mais seguras e mais sustentáveis. Os equipamentos são confeccionados com a utilização de materiais reciclados e recicláveis, sendo, em média, 25% mais leves que a maioria dos equipamentos tradicionais – o que ajuda a reduzir as emissões de CO2 na fabricação, no processamento e até no transporte de componentes e terminais. Contam, também, com painéis led, que reduzem o consumo de energia, e integração nativa para uso de APIs, o que possibilitará ampliar os recursos de Open Banking, reforçando a importância dos terminais como elementos de interação entre consumidores e bancos (inclusive digitais).

O presidente da Diebold Nixdorf diz que além disso, a empresa está investindo casa vez mais no desenvolvimento de software e serviços aos clientes, pois assim "que de cada dólar faturando 60% vem desse dois itens, o que entrega mais valor para o cliente e para os acionistas".

Open Banking

Para Matheus Neto, gerente de Soluções de Hardware da Diebold Nixdorf, o DN Series 400 marca uma verdadeira revolução nas oportunidades de uso dos ATMs no setor bancário brasileiro. "Com o avanço de questões como o Open Banking, o foco está totalmente centrado na experiência dos consumidores. Essa é uma demanda para o agora e para o futuro. Nesse cenário, o DN Series 400 representa uma solução de autoatendimento preparada para habilitar e operar uma nova gama de possibilidades para atender os consumidores e, ao mesmo tempo, tornar as operações mais conectadas, sustentáveis e inteligentes", diz.

Esses equipamentos também ajudam a trazer ganhos paralelos, como redução de consumo de energia, menor pegada de carbono (na produção) e alinhamento com ausência de matérias-primas de alto impacto ambiental. "A construção dessa plataforma é totalmente feita em acordo com padrões que olham não apenas para a performance dos bancos, mas também para o legado ambiental e sustentável que essas máquinas precisam ter para se adequar às demandas do futuro", explica Neto.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário