A tecnologia a favor dos novos gestores

0
0

Diante de um mercado altamente competitivo, muitas empresas se viram obrigadas a investir em uma gestão mais inteligente, segura e ágil, a fim de garantir a sobrevivência e o crescimento de seus negócios. Para superar desafios em tempos de crise, é preciso adotar novas práticas de gestão, com foco em resultados e pessoas, para otimizar recursos e estabelecer processos eficientes, além de monitorar indicadores e tendências. Nesse contexto há um outro fator extremamente relevante: a tecnologia da informação (TI). Essa nova realidade exigiu também um novo perfil de gestor.

Os gestores ganharam ainda mais importância, no sentido de liderar suas equipes de maneira assertiva, atingindo altos índices de produtividade. Por isso, é preciso que eles sejam capazes de perceber e absorver as mudanças do mercado, reconhecer oportunidades e enxergar alternativas. A rotina desse gestor é repleta de desafios, e um dos principais deles é engajar seus colaboradores aos objetivos da empresa. Para isso, é essencial atuar em uma gestão humanizada, relacionamentos produtivos e na construção de ambientes de trabalho saudáveis.

O novo modelo de gestão modificou vários conceitos anteriores por meio do compartilhamento de informações, integração de toda a empresa, formação de equipes multifuncionais, além da delegação de metas, autoridade e responsabilidades. Assim, é possível agilizar as rotinas, ganhar eficiência e produtividade, eliminar desperdícios e reduzir custos. Com o gestor mais próximo da equipe, cooperando para o andamento dos projetos e das atividades, cria-se uma nova relação entre líder e liderados, de mais confiança e espírito de coletividade.

Para conquistar uma gestão eficiente é preciso que o sistema de tomada de decisões estratégicas da empresa seja baseado em uma correta análise de dados e informações que, por sua vez, devem estar centralizados e ordenados de maneira prática e confiável. Sendo assim, é possível perceber que a tecnologia pode colaborar muito no sentido de integrar dados que permitam análises críticas e estruturadas. Com esse recurso, é mais fácil definir e monitorar vários indicadores de performance, como recursos humanos, produção, desenvolvimento, finanças e vendas, o que colabora para a percepção de tendências positivas e negativas, de modo a assegurar correções antecipadas.

A centralização organizada de todas as informações fornece condições adequadas para a tomada de decisões de forma mais dinâmica e eficiente, minimizando drasticamente a chance de erros e prejuízos, além de assegurar um sensível aumento na produtividade das equipes. A identificação de gargalos nos processos é uma necessidade básica e que precisa ser tratada com atenção. Para isso, os sistemas de gestão permitem esse tipo de identificação de maneira clara e segura, facilitando o planejamento de ações para a eliminação dessas restrições que causam transtornos e despesas desnecessárias.

O uso desses sistemas certifica a própria maturidade da equipe e de seus colaboradores, pois através do monitoramento individual é possível que cada profissional avalie de maneira clara o seu rendimento, a distribuição de seus esforços, os desperdícios e, por fim, encontre formas mais eficientes de atuar, reorganizando a própria rotina, dedicando mais empenho a determinadas atividades relevantes e gerenciando a agenda de modo mais prático e proveitoso.

É fundamental que haja um claro alinhamento entre a lista de prioridades da empresa e a de seus colaboradores. Isso acontece quando as metas individuais e coletivas são comunicadas e divulgadas com clareza, de forma a nortear o trabalho de todos. Com essa iniciativa, as equipes se tornam mais fortes, competentes e capazes de superar os desafios futuros. 

Marcio Jacson dos Santos, diretor executivo da PeopleOne Brasil.

Deixe seu comentário