Será a jornada híbrida a melhor opção para a colaboração no ambiente de trabalho?

0
9

A mudança repentina para o trabalho remoto no início da pandemia forçou uma adaptação em que as empresas e os colaboradores não estavam preparados, tendo que dividir o espaço com outros membros da família e criar um ambiente minimamente aceitável com os recursos disponíveis no momento.

Entretanto, as equipes ficaram mais isoladas gerando um esgotamento digital e uma carga mental e emocional exaustiva. A intensidade digital diária gerada por reuniões online aumentou significativamente, levando muitos trabalhadores para os consultórios médicos. Então, como atender a todas essas mudanças e garantir o bem estar dos colaboradores? De que maneira o colaborador pode interagir remotamente com toda a equipe?

De acordo com um estudo no início do ano, conduzido pela Work Trend Index, conduzida pela Edelman Data X Intelligence com 31.092 colaboradores de 31 países apontou que a produtividade autoavaliada permaneceu igual ou superior em comparação com o ano passado, mas a um custo humano elevado.

Um em cada cinco entrevistados da pesquisa relatou que seu empregador não se preocupou com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Mais da metade, 54%,se sentem sobrecarregados. Outros 39% se sentem exaustos.

E como fica a jornada de trabalho com o Metaverso?

De forma resumida, o termo se refere a um espaço virtual coletivo onde as pessoas podem interagir umas com as outras em uma realidade aumentada. Isso inclui o ambiente de trabalho. Com a jornada híbrida como uma tendência à preferência de empresas e colaboradores, essa realidade se torna ainda mais próxima, uma vez que as equipes necessitam interagir e estar em vários lugares ao mesmo tempo, já que, estar na empresa, mesmo que trabalhando de casa, gera uma necessidade de interação virtual para bom andamento dos projetos.

Trabalhar de casa pode requerer a utilização de plataformas para  colaboração e produtividade do trabalho em equipe, o que deixa os colaboradores suscetíveis aos termos de uso, que em geral, inclui o compartilhamento de dados, sem contar a obrigação da presença virtual na empresa para participar de reuniões, cumprir horários etc, o que pode demandar uma carga extra e maior desgaste físico, mental e emocional

As questões trabalhistas também estão sendo revistas, uma vez que na CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) não há uma norma específica sobre esse tipo de jornada híbrida. Porém, a reforma trabalhista ocorrida em 2017 inclui a regulamentação do teletrabalho para a prestação de serviços fora das dependências da empresa e que o comparecimento às suas dependências para a realização de atividades específicas que exijam a presença do empregado no estabelecimento não descaracteriza o regime de teletrabalho.

Com isso, é importante estabelecer que a prestação de serviços na modalidade de trabalho híbrido esteja no contrato de trabalho, a fim de serem especificadas as atividades que serão realizadas pelo empregado.

Essas e outras questões serão debatidas na 3ª edição do Digital Work Place Forum, que acontece nos dias 24 e 25 de novembro. Mais informações e inscrições no site https://digitalworkplaceforum.com.br/ fone 11-3138-4619 ou info@tiinside.com.br

Deixe seu comentário