Intel Capital investe em sites brasileiros de e-commerce

    0
    0

    A rede social de moda brasileira Fashion.me e o clube de compras de moda online Coquelux são as duas novas apostas da Intel Capital no segmento de comércio virtual brasileiro. Com os dois investimentos, recém-anunciados, o grupo de private equity e venture capital tecnológicos soma cinco apostas no Brasil desde 2011.

    Desde 1999, a Intel Capital já investiu aproximadamente US$ 75 milhões em 25 empresas brasileiras. Em sua estratégia de expansão na América Larina,  empresa  já contabiliza US$ 140 milhões de investimentos em cerca de 40 empresas nesse período.

    "A Intel Capital reconheceu há muito tempo a necessidade de estimular a criação local de experiências online únicas e atraentes para manter o ritmo da rápida adoção da tecnologia e da internet no Brasil", diz Arvind Sodhani, presidente da Intel Capital e vice-presidente executivo da Intel.

    O executivo acredita que os investimentos nos dois sites brasileiros geram impacto positivo no ecossistema de e-commerce social do país. "Por fornecer aos consumidores e marcas de moda oportunidades para criar uma experiência online sob medida, que leva em consideração interesses, necessidades e preferências culturais", acrescenta.

    No modelo da rede Fashion.me, que surgiu como byMK em 2008, os usuários escolhem entre mais de 2 milhões de itens das grifes e estilistas preferidos no país para criar looks personalizados e compartilhá-los com amigos e especialistas na rede social.

    A Coquelux, por sua vez, é um clube de compras online que atua nos mercados premium e luxo nos segmentos de moda design e decoração, beleza, gastronomia, tecnologia e entretenimento. Os membros têm acesso exclusivo a eventos relâmpagos e podem comprar produtos e marcas de desejo com descontos que variam de 30% a 90%.

    O presidente da Intel Brasil Fernando Martins, avalia que investimentos de suporte a inovação são vitais para a geração de conteúdo local e novas oportunidades para empreendedores e consumidores brasileiros. Ele ressalta que o país figura como terceiro maior mercado de PCs no mundo e tem a população de internautas que passa mais tempo conectada à rede mundial.

    Deixe seu comentário