60% dos usuários de smartphones já fizeram compras em apps móveis, aponta estudo

0
156

A mais recente pesquisa Panorama Mobile Uso de Apps no Brasil, realizada por Mobile Time e Opinon Box – com oferecimento da Dynatrace -, aponta um aumento do número de brasileiros que usam o smartphone para realizar transações bancárias e compras online e que fizeram compras in-app, ou seja, a partir de dentro do aplicativo que estão usando no momento.

Criada há cinco anos, a pesquisa acompanha o comportamento do brasileiro no uso de smartphones, wearables e aplicativos móveis. Nesta edição de dezembro de 2020, os números apontam forte crescimento na proporção de usuários que já fizeram compras in-app pelo smartphone: 60% dos entrevistados, aumento de 10 pontos percentuais em doze meses. O in app purchase é um recurso que permite ao usuário realizar uma compra de um algum item à venda dentro de um aplicativo, tais como itens virtuais dentro de jogos, acesso a funcionalidades extras dentro de um app, download de algum conteúdo exclusivo, entre outros.

A pesquisa aponta também o crescimento da popularidade de aplicativos de bancos e carteiras digitais nos últimos 12 meses, como Caixa TEM, Nubank, Inter, Mercado Pago e PicPay. Esta movimentação, segundo os organizadores do levantamento, foi impulsionada nos últimos meses pelo pagamento do auxílio emergencial pelo governo federal e pela entrada em operação em novembro do Pix, serviço de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central.

A pesquisa identificou um avanço no uso de assistentes de voz pelo smartphone: em um ano, passou de 67% para 73% a proporção de brasileiros que já utilizaram comandos de voz em seus aparelhos. O uso de wearables, por sua vez, também vem crescendo: em 12 meses, subiu de 16% para 20% a proporção de internautas brasileiros que possuem um relógio ou uma pulseira inteligentes.

Entre os aplicativos de mensageria e redes sociais, o levantamento destaca que o Instagram segue em forte ascensão e superou pela primeira vez o Facebook em presença na tela inicial (home screen), passando para a vice-liderança, com um aumento de seis pontos percentuais em um ano – e agora está na tela inicial de 45% dos smartphones nacionais. O Telegram teve um crescimento significativo de 4 pontos percentuais em um ano, e passou a ocupar a vigésima posição no ranking. O resultado confirma o avanço registrado pelo app nos últimos 12 meses por outra pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, dedicada ao mercado de mensageria móvel. No radar, o WhatsApp se mantém na liderança, presente em 56% das telas iniciais dos smartphones brasileiros.

Perdas e ganhos

Na lista dos aplicativos que mais ganharam ou perderam posições estão o TikTok e o UBER. O app de vídeos, que seis meses atrás havia dado um salto, agora manteve sua posição no meio do ranking, em 13º lugar, presente na home screen de 8% dos aparelhos. Na comparação com 12 meses atrás, foi o que mais ganhou participação. Agora, o app de corridas levou um tombo: baixou de 17% para 12%, e caiu de quarta para a sexta posição do ranking. A perda de popularidade é explicada pela pandemia do novo coronavírus: o isolamento social reduziu drasticamente a demanda por corridas.

Estreantes no radar

Um dos aplicativos que apareceu pela primeira vez no radar nesta edição é o e-Título, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que substitui o título de eleitor em papel e serve para justificar a ausência no dia da eleição. Vale lembrar que as entrevistas da pesquisa aconteceram entre 6 e 23 de novembro, ou seja, justamente no período eleitoral. Provavelmente o e-Título sairá do radar na próxima edição.
Outras estreias nesta edição do radar são as dos apps Among Us, Shopee (que também teve sua estreia na pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre m-Commerce e m-Payment, de outubro) sobre Comércio Móvel, Smiles e SnapTube. Este último merece destaque: é a primeira vez que um aplicativo que não é distribuído pelas lojas App Store e Google Play figura no radar.

Streaming cresce

A pesquisa também registra que a assinatura de serviços de streaming de filmes e séries vem crescendo rapidamente no Brasil. Em um ano e meio, entre maio de 2019 e novembro deste ano, subiu de 38% para 56% a proporção de internautas brasileiros que assinam um serviço pago de streaming de vídeo.

A assinatura de streaming de música também está no mesmo ritmo. Em um ano e meio, entre maio de 2019 e novembro deste ano, aumentou de 20% para 32% a proporção de internautas brasileiros com smartphone que pagam por streaming de música.

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de apps foi realizada entre os dias 6 e 23 de novembro, com 2.003 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone. O relatório integral está disponível para download gratuito em www.panoramamobile.com.br

Deixe seu comentário