Emissão de cartões de débito virtuais Caixa Elo supera marca de 1 milhão

0
0

A Elo, empresa 100% brasileira de tecnologia de pagamentos, e a Caixa anunciam a geração de mais de 1 milhão de cartões de débito virtuais, impulsionados após a liberação da primeira parcela do Auxílio Emergencial. Com a tecnologia, o benefício já pode ser utilizado sem necessidade de saque para compras online no débito em diversos sites e apps. Também é possível pagar compras em estabelecimentos físicos como Carrefour e nas lojas dos grupos GPA e BIG.

A tecnologia, que usa um código de segurança dinâmico para cada transação, é pioneira no débito no País e foi desenvolvida pela Caixa e Elo. Atualmente, mais de 100 milhões de clientes correntistas e poupadores Caixa já podem gerar seu Cartão de Débito Virtual Caixa Elo, assim como os beneficiários do Auxílio Emergencial, que já estão habilitando essa função no App CAIXA TEM, como alternativa para compras sem necessidade de saque.

"A parceria amplia as possibilidades de compras dos brasileiros neste período emergencial, facilitando o acesso a algumas das maiores redes alimentícias do País, além do pagamento já disponível nos principais e-commerces e apps de serviços", destaca Eduardo Chedid, CEO da Elo.

As empresas responsáveis pela tecnologia de aceitação de cartões no mundo físico e online, também conhecidas como credenciadoras, já habilitadas para esta nova tecnologia do Cartão de Débito Virtual Caixa Elo, hoje representam 85% do faturamento do mercado de cartões no Brasil.

O Cartão de Débito Virtual Caixa Elo já é aceito em estabelecimentos físicos como Carrefour, nas mais de mil lojas do Grupo GPA (Extra, Pão de Açúcar, Assaí Atacadista e Compre Bem), e nas mais de 400 lojas do Grupo BIG (Big, Big Bompreço, Super Bompreço, Nacional, Maxxi Atacado, Sam's Club e TodoDia). Além deles, diversos parceiros também já aceitam o cartão nos e-commerces e aplicativos.

Essa forma de pagamento também já pode ser utilizada para compras em sites e apps de diversos parceiros, que combinam dois fatores principais: a necessidade de garantir que as compras em e-commerce possam ser feitas com segurança, sem necessidade de saque, neste momento de restrição de circulação por conta da quarentena, e o estímulo aos negócios dos estabelecimentos comerciais que possuem vendas online.

Deixe seu comentário