Estados Unidos acusam governo chinês de espionar empresas americanas

2
0

O Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) apresentou acusações, nesta segunda-feira, 19, contra vários integrantres do exército da China, sob alegação de roubo de segredos comerciais de empresas norte-americanas. Esta é a primeira vez que os EUA acusam publicamente funcionários de uma potência estrangeira de crimes cibernéticos contra empresas do país.

O procurador-geral Eric Holder Jr. afirmou que várias empresas foram hackeadas. As acusações foram apresentadas contra cinco pessoas, que supostamente trabalhavam para uma divisão do exército chinês, conhecida como Unidade 61398, baseada em Xangai. Os hackers teriam roubado algumas informações de um projeto para construção de uma usina nuclear, bem como dados sobre custos e preços de uma empresa de painéis solares.

Os suspeitos fariam parte de um grupo que invadiu sistemas de empresas americanas para obter informações de 1.753 computadores, sobre sistemas de tubulação para usinas nucleares da Westinghouse Electric, bem como de contas de e-mail de funcionários de uma associação ligada à indústria de manufatura e um sindicato de trabalhadores no setor de energia. A United Steel, Paper and Forestry, Rubber, Manufacturing, Energy, Allied Industrial and Service Workers International Union, também conhecida como USW, há muito vem criticando as práticas comerciais chinesas.

Outra empresa, a Allegheny Technologies, fabricante de metais especiais, teve as credenciais de rede de milhares de funcionários roubadas, segundo autoridades americanas. O ataque hacker teria ocorrido entre 2010 e 2012. A companhia estava ciente do caso, mas disse que não iria comentar, pelo menos por enquanto, disse Dan Greenfield, vice-presidente de relações com investidores e comunicação da Allegheny, que produz ligas e outros materiais utilizados em uma ampla variedade de indústrias.

Os hackers também atacaram a Alcoa e teriam roubado pelo menos 2.907 e-mails e 863 anexos de sistemas da empresa.

Funcionários do governo EUA há muito se queixam de que a China tem espionado empresas americanas para descobrir segredos comerciais com objetivo de dar às companhias chinesas uma vantagem competitiva — acusação negada por Pequim, ressaltando que tais acusações não têm base na realidade.

No ano passado, diante de relatos que detalharam a extensão da pirataria chinesa a empresas e corporações dos EUA, as autoridades americanas tentaram pressionar o governo chinês a parar com as práticas de espionagem de suas forças armadas. Um relatório divulgado pela empresa de segurança Mandiant apontou que uma porcentagem esmagadora de ataques a empresas americanas e agências governamentais teria sido iniciada por uma unidade do exército chinês.

Em março passado, porém, foi revelado que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) tinha criado uma backdoor (porta dos fundos) para acessar redes de computadores da Huawei, fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicações, que é considerada uma ameaça pelo governo americano. No entanto, o Comitê de Inteligência dos EUA sempre advertiu que o governo e as empresas americanas deveriam evitar fazer negócios com a Huawei e a ZTE, alegando que os sistemas dessas companhias contém componentes para espionagem.

A NSA também acompanhou mais de 20 grupos de hackers chineses — incluindo alguns do exército chinês e da marinha — que supostamente teriam violado redes do governo americano e empresas. Com informações da imprensa internacional.

2 COMENTÁRIOS

  1. É engraçado como ditados como: pimenta no olho dos outros é refresco, faça o que eu mando e não faça o que eu faço, fazem mais sentido. Os americanos realmente sabem fazer piadas. A NSA tem feito o que ? Será que as empresas americanas não tem backdoor?

Deixe seu comentário