Fintech lança mercado secundário de ativos alternativos tokenizados

1
102

A Hurst Capital, plataforma especializada em ativos alternativos na América Latina, lança mercado de ativos tokenizados, que funcionará como mercado secundário. Para tanto, a empresa transformou em token todos os ativos já originados, com base na tecnologia blockchain. Todos os investidores receberão automaticamente os tokens em sua carteira digital através do aplicativo Android e iOS. Dessa forma, poderão fazer operações no mercado secundário dentro da própria plataforma. Atualmente, a empresa oferece oportunidades de investimentos em royalties musicais, ativos judiciais, ativos imobiliários e em crédito empresarial.

O modelo de token surgiu no mercado de criptomoedas. Devido à sua segurança e praticidade popularizou-se e passou a ser usado em outros segmentos do mercado financeiro. Token é o registro de um ativo em formato digital. Quando o ativo é tokenizado, frações dele podem ser negociadas no mercado.

Sendo assim, um investidor que tenha aplicado R$ 10 mil em royalties musicais, por exemplo, poderá vender uma parcela (cada fração valerá R$ 1) para outro investidor com algum ágio e obter ganhos com isso. "É semelhante à compra e venda de ações na Bolsa. O investidor pode vender aquele token que subiu no mercado secundário para outro investidor", afirma o CEO da Hurst, Arthur Farache.

O executivo também explica que fazer dinheiro com a venda do token não é a única vantagem de vender o ativo inteiro ou fracionado. "A maior dificuldade da popularização dos ativos alternativos é a falta de liquidez. Com o mercado secundário, os investidores podem sair da operação, vendendo seus tokens, e investidores podem entrar em operações que já não estão mais disponíveis de forma primária".

Farache conta que a Hurst é muito forte em originação de ativos alternativos. Seu objetivo com a tokenização e a criação do mercado secundário é ajudar o investidor utilizando-se de uma tecnologia de ponta que é o blockchain.

Carlos de Carvalho, sócio e CTO da fintech, foi o responsável pelo projeto que durou seis meses e recebeu um investimento de mais de meio milhão de reais. "A Exchange permitirá que os investidores da Hurst comprem ativos digitais utilizando criptomoedas", complementa.

A tokenização não muda em nada os ativos já originados. Investidores novos terão de abrir uma conta na Hurst para poderem operar. A compra e a venda de ativos só poderão ser realizadas por meio da plataforma.

 

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário