Você já ouviu falar de distanciamento social? Agora tente distanciar os riscos

0
75

Nos últimos meses, o distanciamento social desempenhou um papel de destaque em praticamente todos os aspectos de nossa vida pessoal e profissional. A maioria da população está trabalhando em casa. Em pouco tempo, os pais se transformaram em professores e cuidadores em tempo integral – muitas vezes além de seus empregos em tempo integral. Uma caminhada rápida pela rua requer um planejamento cuidadoso, com o uso de máscara fácil e álcool em gel. Os encontros virtuais substituíram os compromissos sociais.

É difícil imaginar quando, ou se, a vida vai voltar ao "normal", mas independente disso, o distanciamento social agora faz parte do nosso cotidiano. Mas e quanto ao distanciamento de risco? Embora o distanciamento social signifique seguir as práticas recomendadas para evitar o contágio ou mesmo espalhar o COVID-19, o distanciamento de risco é um lembrete para seguir as práticas recomendadas de segurança para mitigar os perigos de um ataque.

O cenário de risco também mudou dramaticamente na esteira do novo coronavírus. As empresas correram para incorporar novos aplicativos e serviços para tornar o trabalho remoto possível. Os hábitos arriscados de trabalhar em casa estão colocando em risco sistemas comerciais críticos e informações confidenciais. Uma pesquisa recente, mostrou que 77% dos funcionários remotos usam dispositivos "BYOD" não gerenciados e inseguros para acessar sistemas corporativos. Enquanto 66% dos funcionários remotos adotaram ferramentas de comunicação e colaboração com vulnerabilidades de segurança conhecidas, como Microsoft Teams e Zoom. Enquanto isso, os cibercriminosos oportunistas aumentaram seus ataques – visando servidores RDP para lançar ransomware sofisticado – em um esforço para capitalizar neste momento incerto.

Pratique o distanciamento de risco no "novo normal"

As organizações enfrentam o desafio de como atender de forma rápida e adequada às necessidades de infraestrutura e produtividade e reconhecer a necessidade de distanciar os riscos. Isso é muito importante quando se trata de proteger o acesso privilegiado para funcionários remotos em terminais corporativos distribuídos.

De acordo com a CNBC (Consumer News and Business Channel), setores como tecnologia, serviços financeiros e seguros têm investido em ferramentas de trabalho remoto e não há indicação de que voltarão à velha maneira de fazer negócios. À medida que mais organizações estendem as políticas de trabalho em casa para longo prazo, as equipes de segurança devem examinar cuidadosamente os programas e prioridades de segurança cibernética existentes para determinar se eles ainda são adequados para esse atual cenário que está em constante mudança.

Geraldo Bravo, executivo de vendas da CyberArk.

Deixe seu comentário