A evolução da tecnologia nas empresas: do setor de serviços ao coração do negócio

0
25

Ainda que falar sobre o impacto da tecnologia nos negócios esteja longe de ser algo novo, as transformações dos últimos tempos atingiram um alcance sem precedentes. Este processo, potencializado pela pandemia, foi completamente transversal aos diferentes setores e indústrias: nenhuma empresa pode dizer hoje que o digital não está de alguma forma no centro da organização.

Um dos exemplos mais gráficos é o do setor de TI. Tipicamente considerada uma área de serviço que era convocada para problemas ou necessidades muito específicas, hoje está presente em todas as decisões estratégicas e se encontra no centro de todos os negócios. A pandemia destacou três áreas nas quais a TI vem desempenhando um papel crítico nos últimos meses: e-commerce, modernização de aplicativos e trabalho em casa. Enquanto aqueles que investiram neles antes da crise conseguiram se adaptar rapidamente e manter sua competitividade intacta, os que não o fizeram tiveram que priorizá-la e desenvolver sua infraestrutura tecnológica para sobreviver.

De acordo com estudo realizado pela Progress com 900 líderes empresariais ao redor do mundo, a coordenação e alinhamento entre a área de TI e o negócio é bom para 77% dos entrevistados, o que implica em uma melhora significativa em relação aos resultados anteriores. A partir do mesmo estudo, as organizações se mostram dispostas a usar a experiência digital como vantagem competitiva. É o que afirmam 90% dos pesquisados no México e 87% dos pesquisados no Brasil, o que prova que o fenômeno também é fundamental em nossa região.

Isso é essencial para um dos grandes fenômenos deste ano no mundo: o crescimento exponencial do e-commerce. O comércio eletrônico está passando por um boom global, mas com forte impacto na América Latina. De acordo com um estudo do medidor de audiência Comscore, as taxas de crescimento do consumo de minutos em sites de varejo são de dois dígitos no México e na Argentina, por exemplo, e estão crescendo fortemente nos demais países da região.

Estamos vivendo uma transição entre o Sistema de Gerenciamento de Conteúdo e a Experiência Digital (DXP), que tem como eixo a necessidade de manter um público envolvido e ativo em sua jornada pelo produto digital.

Trata-se de oferecer experiências envolventes e inspiradoras, mas também de entender qual caminho se usa e quais estruturas o permitem. Nesse sentido, é fundamental tomar decisões com base em dados comportamentais muito específicos. Em última análise, o desafio é a personalização da jornada de cada usuário.

As empresas hoje, mais do que nunca, precisam que seus aplicativos sejam eficientes e de alto desempenho. No entanto, muitos ainda dependem de sistemas legados que não podem atender às suas necessidades de negócios e devem ser modernizados. De acordo com o Gartner, a modernização de aplicativos refere-se à "migração do legado para novos aplicativos ou plataformas, incluindo a integração de novas funções para fornecer as funções mais recentes para a empresa". Os aplicativos modernos reduzem custos, aumentam a produtividade e melhoram a satisfação do cliente – eles tornam todo o negócio mais bem-sucedido.

O fenômeno do home office, possibilitado pela evolução da tecnologia, é o terceiro aspecto chave que está transformando a TI em um centro de negócios indispensável. O monitoramento da rede e a identificação antecipada de problemas quando os funcionários trabalham em casa podem evitar problemas graves de segurança.

Nesse sentido, o acompanhamento dos workflows e a prevenção da queda de VPNs tornou-se fundamental, uma vez que garantem a continuidade das tarefas. Nunca foi tão importante entender quais ferramentas são essenciais para que os trabalhadores possam realizar suas atividades. E para isso é necessário realizar um monitoramento em tempo real e estabelecer alertas em aplicações críticas. Sem uma visibilidade rápida do status dessas ferramentas por meio de um painel, é difícil garantir a operação estável do lado digital de uma empresa.

A tecnologia está recuperando seu lugar em todas as esferas dos negócios: e-commerce, experiências digitais, modernização e monitoramento de rede são as principais prioridades agora. Que a tecnologia esteja no centro de qualquer estratégia hoje é um desafio que exige estar à altura da tarefa. E isso às vezes significa sair da sua zona de conforto em termos de ferramentas e processos digitais. Um passo fundamental para se adaptar a contextos cada vez mais exigentes.

Eduardo Maurizi, senior partner account manager da Progress na América Latina.

Deixe seu comentário