XP implanta estratégia para ser reconhecida como uma empresa de tecnologia digital

1
301

Se transformar numa empresa de tecnologia que oferece produtos financeiros, uma verdadeira "big tech" do setor. Esse foi o objetivo traçado pelo grupo XP Inc, dona das marcas XP Investimentos, Rico, Clear, Infomoney, XPeed e Spiti, entre outras, que para isso, desde 2017 começou a promover uma verdadeira transformação digital, com profundas mudanças na equipe de colaboradores.  

Para liderar essa inciativa, a XP nomeou Thiago Maffra em 2018 como diretor de Tecnologia, profissional com larga experiência no setor financeiro e empreendedorismo, que já atuava em outra área da organização, para montar uma equipe alinhada como essa nova proposta, com participação de profissionais experientes vindos das principais empresas digitais do mercado, como Google, Facebook, Nubank e Mercado Livre.

Depois de fazer uma imersão e conhecer experiencias no Silicon Valey, da Singularity University, de concorrentes e outras empresas, o XP adotou a metodologia Ágil e formou times de squads que, com independência, começaram o desenvolvimento dos inúmeros produtos financeiros que o grupo oferece no mercado.

"Hoje temos cerca de 80 squads, compostos não só profissionais de tecnologia, mas de todos dos diferentes setores da organização, como design, operações, etc, que têm liberdade na criação de produtos, na mudança de processos, na melhoria continua, tendo em vista a melhor experiência do cliente e que contribua para os resultados da corporação", explica Maffra.

O compromisso desses times é que, no mínimo, a cada 15 dias entreguem um novo release, dentro do conceito de aperfeiçoamento continuo, mas há caso onde há deploy de versões dos produtos todos os dias, até mais de uma vez por dia. Esses produtos são testados diretamente com um grupo de clientes pré-definidos, para que o feed back seja rápido e assertivo. A empresa desenvolveu seu próprio design system, o que trouxe um ganho de até 30% de velocidade no desenvolvimento de novos projetos. 

Para se ter uma ideia da agilidade que essa metodologia de trabalho proporciona, em menos de 6 meses, a XP lançou seu cartão de crédito no mercado, sem anuidade com cash back em investimentos incluído, numa parceria com a Visa.

Outro exemplo é o Hub XP, um aplicativo especialmente desenvolvido para assessores de investimento, que, na prática, funciona como um CRM completo para esses profissionais. Também desenvolveu o XP Responde, um aplicativo gratuito que funciona no navegador Google Chrome e ensina termos do mercado financeiro para quem está começando a aprender sobre investimentos.

Banco digital

O XP também recebeu autorização do Banco Central para ser tornar um banco digital, mas segundo o executivo, o objetivo não é operar como um banco tradicional, mas sim oferecer serviços para os quais é necessário contar com esse tipo de licença.

Lançado no segundo semestre de 2020, o banco digital da XP tem uma meta ousada: ser líder no segmento de atacado até 2023. Para isso, está contratando profissionais de TI que irão, entre outras funções, ajudar no lançamento de plataformas de meios de pagamento, abertura de contas digitais, entre outras soluções relacionadas à experiência dos clientes.

Só em 2020, mais de 500 profissionais de tecnologia foram contratados pela companhia. No primeiro trimestre desse ano, irá contratar um total de 176 profissionais de tecnologia. A maioria das vagas é destinada para software engineers, que irão atuar em todas as áreas de negócios da empresa. O profissional não precisa ser um ultra especialistas, mas pessoas com conhecimento em diversas frentes, que tenham espírito desbravador e focadas em resultados. Os profissionais poderão se candidatar de qualquer lugar do Brasil ou do mundo, em linha com o programa #XPdeQualquerLugar.

"Queremos ser reconhecidos como a melhor companhia de tecnologia brasileira e ser disruptivos em outros segmentos, como fizemos em investimentos", afirma o diretor de Tecnologia da XP.

Para essa jornada de transformação de uma empresa de finanças para uma de tecnologia, pretende no total contratar 1.100 profissionais para seu time ao longo de 2021, principalmente profissionais da área de Dados, Engenharia de Software e Assessoria de Investimento. Atualmente, a XP conta com mais de 3600 colaboradores no Brasil.

Com a pandemia, a XP está se tornando uma instituição "anywhere", que mesmo após o fim da crise, continuará a trabalhar de forma remota. "Em 3 dias todo nosso time passou a trabalhar totalmente home office, modelo que pretendemos adotar como definitivo", ressalta.

A criação da sede da empresa, a Vila XP, na cidade de São Roque, a 35 minutos da capital paulista, anunciada no ano passado, será utilizada com um ambiente de treinamento, de convivência e troca de experiência com o objetivo de disseminar a cultura da organização entre os colaboradores.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário