Sudeste perde relevância no varejo online mas ainda lidera com 61,72%

0
0

As datas comerciais em 2019 superaram as expectativas do varejo digital e o varejo virtual encerrou o ano com previsão de crescimento. A Social Miner, empresa que une dados de consumo, tecnologia e humanização para ajudar sites a otimizarem seus resultados, lançou o seu Relatório de Comportamento do Consumidor Brasileiro em 2019, que revela detalhes sobre o desempenho das lojas online ao longo do ano e insights sobre o comportamento dos consumidores no período. Para isto, a empresa analisou sua base – composta por mais de 41 milhões de cadastros dos brasileiros – entre os dias 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2019.

A pesquisa revelou que as pessoas que se declararam do gênero feminino foram as que mais compraram no ano passado, com 60,8% dos pedidos feitos, deixando os homens com representatividade de 39,2%. Outro aspecto analisado no relatório é por qual dispositivo os brasileiros compraram algum produto online. A conclusão é que os computadores – desktop – ainda são os mais usados para compras pela internet e, em 2019, tiveram uma representatividade de 69%, enquanto apenas 31% dos consumidores optaram por comprar usando dispositivos móveis, como celulares.

Outro dado do relatório que chama atenção é a representatividade por gênero dentro de cada uma das categorias, com destaque para Beleza e Eletrônicos e Informática. Isto porque a primeira delas – Beleza – teve 84,6% das vendas realizadas pelo público feminino. Enquanto isso, na categoria de Eletrônicos e Informática a maior representatividade foi do público masculino, responsável por 93,3% das vendas da categoria.

Além disso, o relatório traz dados de vendas de categorias por dispositivo, revelando que itens de Beleza tem maior volume de vendas realizadas pelo mobile, com 39,13% dos pedidos finalizados pelo celular. Enquanto isso, a categoria de Eletrônicos e Informática apresenta o caminho inverso com 87,9% realizadas por meio do desktop.

As questões ligadas à logística e entrega ainda impactam diretamente no volume de vendas, principalmente em regiões afastadas dos pólos de distribuição, com isso, cerca de 44% dos consumidores do Norte, alegam não estar dispostos a pagar pelo valor do frete, e consequentemente desistem de comprar, segundo dados da Pesquisa sobre o perfil de compra em 2019 também realizada pela Social Miner.

No entanto, de acordo com o relatório que revela a performance dos e-commerces ao longo de 2019, apesar do Sudeste deter a maior representatividade em vendas (61,72%) no ano passado, ele perdeu relevância em relação a 2018, quando concentrava 67,29% das conversões. Por outro lado, as outras regiões do país, sem exceção, registraram um crescimento no volume de pedidos, com destaque para Sul e Nordeste, que cresceram, respectivamente, 2,44 e 1,73 pontos percentuais, passando de 12,54% para 14,98% e de 12,32% para 14,05%, de um ano para o outro, o que pode nos indicar que, pouco a pouco, o varejo virtual esteja vencendo os desafios logísticos e conquistando novos mercados no Brasil.

Deixe seu comentário