Thomson Reuters lança solução de governança corporativa

0
19

Thomson Reuters, provedor líder mundial de soluções e informações inteligentes para negócios e profissionais, anuncia nesta sexta-feira, 20, o lançamento no Brasil do portal Thomson Reuters Accelus Boardlink, uma solução de governança corporativa que integra conteúdo chave, em português, para assegurar que os membros do conselho acessem as informações necessárias para adotar as melhores medidas estratégicas para sua organização. Trata-se de uma ferramenta global em plataforma web que permite a organização e o compartilhamento de dados entre diretores e executivos de empresas de forma segura e totalmente personalizável.

A história recente mostra que a governança corporativa no ambiente global tornou-se mais complexa nos últimos anos devido à economia flutuante, ao aumento dos requisitos regulatórios e ao maior nível de escrutínio, elevando em muito as responsabilidades dos conselhos de administradores. Os "boards" de executivos necessitam de informações estratégicas e inteligência industrial que assegurem perfeito entendimento de cada situação e uma consequente tomada de decisões mais assertiva.

"A preocupação com segurança de informações críticas ganhou um capítulo na história recente do País. Não seria por menos. A segurança de informações estratégicas está para o desempenho dos negócios e para a competitividade assim como a transparência dessas informações está para o compliance", comenta Donald Peele, VP da vertical de negócios de Governance, Risk and Compliance da Thomson Reuters para a América Latina. "Nossas soluções para gestão por parte dos Conselhos tornam a vida mais fácil para os executivos e secretários corporativos, oferecendo uma localização on-line segura para o compartilhamento e comunicação de informações críticas", acrescenta.

Um levantamento recente feito pela Thomson Reuters envolvendo secretários corporativos e conselheiros gerais, a respeito da preocupação estratégica sobre comunicação confidencial, apontou que mais de 80% dos empresários ouvidos têm dúvida se a comunicação entre membros do conselho é parcialmente ou completamente desprotegida de recursos de criptografia. Outro dado é que 50% deles acreditam ser desejáveis que os membros do conselho tivessem acesso a documentos em seus computadores pessoais ou em redes inseguras, mesmo se expostos aos riscos.

Deixe seu comentário