Estudo apresentado em Davos traça o impacto comercial do 5G em diferentes regiões

0
11

A Ericsson acaba de divulgar uma edição especial do estudo Ericsson Mobility Report, em preparação para o início do World Economic Forum, em Davos, que tem início amanhã, 22/01.

O estudo apresenta uma análise do impacto comercial do 5G em um momento em que a tecnologia já está sendo comercializada, além de analisar a penetração de internet móvel em diferentes regiões e como elas devem adotar a tecnologia.

Na América Latina, por exemplo, o 4G foi a tecnologia vencedora de 2018, correspondendo a 42% de todas as assinaturas de internet móvel – um pouco à frente do 3G, que corresponde a 39%.

O 4G deve dominar ainda mais a região, e se projeta que até 2024, três quartos de todas as assinaturas de internet móvel tenham a tecnologia em 2024. O estudo ainda aponta que, em média, usuários da América Latina consomem cerca de 3.4 Gbs de conteúdo em seus smartphones por mês – no entanto, com a chegada do 5G na região, projeta-se que esse número chegue em 18 Gbs por usuário até 2024.

De acordo com o estudo, as primeiras aplicações do 5G serão possíveis na região por meio da frequência 3.5 GHz, e o Brasil deve ser um dos primeiros países latino-americanos a receber a tecnologia, ao lado do Chile, Argentina, Colômbia e México.

Globalmente, o 5G deve ser adotado massivamente entre 2020 e 2024, quando projeta-se que tecnologia corresponda cubra 40% da população mundial. Atualmente, o 5G está disponível comercialmente como um serviço de banda larga fixa desde outubro do ano passado, disponibilizado por uma das maiores operadoras de internet móvel dos Estados Unidos.

Até o fim do primeiro semestre de 2019, espera-se que todas as grandes operadoras do país adotem o 5G, assim como operadoras da Coréia do Sul, Japão e China.

Deixe seu comentário