4 dicas para quem sonha em criar uma startup global

0
0

A maioria dos empreendedores sonha – ou já sonhou – com a possibilidade de tornar seu negócio global ou pelo menos de criá-lo com intuito de, no futuro, estar apto para se estabelecer em outros terrenos. Essa vontade, no entanto, não é tão simples quanto parece.

Para que o sonho se torne realidade, é fundamental conhecer a cultura, os costumes e a economia dos países que estão na mira do plano de expansão de sua empresa e organizar o passo a passo do seu plano de negócio desde quando ele ainda é uma ideia.

Um caso brasileiro que vem ganhando notoriedade é a Pipefy, startup de gerenciamento de processos eficientes, fundada por mim, em 2014. Criei a empresa com o objetivo de atingir outros polos, além das fronteiras brasileiras. Percebi que é muito mais fácil ser global desde o primeiro dia do que migrar de um produto local para um produto global posteriormente.

Hoje, contamos com uma plataforma em nuvem que está presente em 15.000 empresas, que vão de pequenos negócios como a Dandelion Chocolates, baseada em São Francisco, a grandes empresas como Accenture, IBM Santander e Wipro, passando por startups que já receberam investimentos, como a Olist e a Nibo. Além da sede em Curitiba, ainda estamos instalados no berço das empresas inovadoras, o Vale do Silício, e já atendemos clientes em mais de 150 países, quase 77% de todo o mundo.

A plataforma da Pipefy foi projetada para facilitar o processo lento, caro e muitas vezes incômodo enfrentado por muitos gestores. Com ela, novos processos operacionais para departamentos como serviço ao consumidor, RH, financeiro, marketing e vendas podem ser postos em prática dentro de horas ou dias, sem entraves de TI.

Abaixo, elenquei 4 dicas que considero imprescindíveis para quem sonha em criar uma startup global.

1. Planejamento é tudo!

Antes de se aventurar em terras internacionais, planeje, desenhe e estruture seu negócio. É fundamental querer que a empresa seja global antes mesmo dela sair do papel. Então defina seus objetivos, o que deve ser alcançado e em quanto tempo e crie um ambiente propício para isso.

2. Hora de pesquisar

Se o projeto está na mão, é hora de definir os mercados para se inserir. Pesquise tudo! Conheça a cultura, os costumes e, principalmente, a economia dos países que pretende buscar expansão.

3. Seja universal

Não é à toa que a língua inglesa é considerada universal. Para alcançar resultados ainda mais promissores, é indispensável saber se comunicar em inglês. Então não perca tempo e invista em aulas para aprender o idioma. Estude, viaje, treine e torne sua equipe apta não só a falar, mas a persuadir no ambiente de trabalho.

4. Sempre o melhor

Seu produto deve ter um diferencial para se destacar diante dos demais. Ofereça aos clientes um design bem feito, em inglês, com experiência 100% self-service. Desse modo, é possível causar um alto impacto no interessado, que, depois de totalmente engajado, estará disposto a comprar o produto.

Alessio Alionço, fundador e CEO da Pipefy.

Deixe seu comentário