Apple negocia compra da McLaren, famosa por sua equipe de Fórmula 1, por cerca de US$ 2 bilhões, diz jornal

0
0

A Apple está em negociações com o McLaren Technology Group para comprar uma parte ou até mesmo a totalidade da empresa britânica, famosa por sua equipe de corrida de Fórmula 1, mas que também fabrica carros esportivos de luxo. O valor da transação pode chegar a 1,5 bilhão de libras (o correspondente a US$ 1,96 bilhão).

A fabricante do iPhone, que vem investindo no desenvolvimento de um carro elétrico autônomo há mais de dois anos, estaria considerando a aquisição total da McLaren ou um investimento estratégico na companhia, de acordo com três pessoas próximas as negociações disseram ao Financial Times. Segundo as mesmas fontes, as negociações começaram há vários meses.

A McLaren produz carros esportivos de luxo que podem custar até US$ 1 milhão cada e possui um grupo de tecnologias avançadas, além dos carros de Fórmula 1. Os acionistas majoritários da companhia são Ron Dennis (chefe da equipe de F-1), Mansour Ojjeh e o governo do Bahrein, que detêm 80% da McLaren Automotive. Ela produziu 1.654 veículos no ano passado e registrou receita de 450 milhões de libras, e se comprometeu a investir 1 bilhão de libras nos próximos seis anos em pesquisa e desenvolvimento.

Segundo o jornal britânico, o interesse da Apple é na tecnologia, na expertise de engenharia e nas patentes da McLaren. Entre as tecnologias estão um motor elétrico de alto desempenho desenvolvido pela empresa, bem como os sistemas de computação embarcada e os novos materiais de chassis, tais como fibra de carbono e alumínio, que poderiam acelerar projeto automotivo secreto da Apple.

De acordo com o site Motor Authority, as negociações com a McLaren alimentam os rumores de que a Apple estaria desenvolvendo um carro próprio — ou tecnologia para outros carros — sob o codinome "Projeto Titan". Caso se concretize, esta será a maior aquisição da Apple desde a compra de Beats Electronics, por US$ 3 bilhões, em 2014.

No início deste ano, a Apple investiu US$ 1 bilhão na chinesa Didi Chuxing, empresa de transporte individual de passageiros que concorria com o Uber, adquirido por ela recentemente. O acordo foi o maior investimento de capital da Apple até neste ano.

Deixe seu comentário