Google compra parte da HTC por US$ 1,1 bi e volta ao mercado de dispositivos móveis

0

Rick Osterloh, vice-presidente sênior de hardware do Google, anunciou no blog corporativo que o gigante da Internet está assumindo parte significativa do negócio móvel da HTC. A transação, cujos rumores começaram no início de setembro, é de US$ 1,1 bilhão.

No passado, o Google vendeu o negócio de celulares da Motorola que havia adquirido em 2011 por US$ 12,5 bilhões para a Lenovo, em 2014, por US$ 2,91 bilhões, mas manteve suas patentes após a venda, que agora licencia para a Lenovo.

No entanto, o framework da operação excede os smartphones. No blog da empresa, Osterloh explica que estão entusiasmados com os novos produtos que serão apresentados em 4 de outubro, mas ainda mais inspirados pelo que farão "nos próximos cinco, 10 ou mesmo 20 anos".

Nesta linha, espera-se que o Google melhore a concorrência em diferentes tecnologias: assistentes domésticos e palestrantes – como o HomePod da Apple e a gama Echo Alexa da Amazon – e a realidade virtual e a realidade aumentada, um setor em que o HTC taiwanês tem uma posição proeminente com o sistema

Por sua vez, a HTC manterá a fabricação de telefones também sob sua própria marca. A empresa assinou um acordo de cooperação para desenvolver telefones com o Google e um acordo para usar suas patentes por 10 anos pelo motor de pesquisa. Isso irá transferir para o comprador cerca de 2.000 funcionários. O presidente da HTC, Cher Wang, disse que esta transação garante a continuidade da inovação na divisão de smartphones e realidade virtual, graças à injeção de fundos.

A relação entre ambas as empresas tem uma longa história. O primeiro celular do Google com tecnologia HTC surgiu em 2010. E seus novos modelos móveis, o mais poderoso do Pixel 2 (o intervalo que aconteceu com o Nexus) é fabricado pela HTC; haverá outro modelo secundário que será da LG.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui