E-commerce tem alta de 24,21% em setembro de 2021

0
22

O e-commerce brasileiro registrou crescimento de 24,21% em setembro de 2021, em relação ao mesmo mês do ano passado. As vendas, considerando o mesmo período de comparação, também tiveram alta de 15,81%. Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pela Neotrust | Movimento Compre & Confie, em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net).

Outro dado relevante, é a participação do e-commerce no comércio varejista, uma vez que, em agosto de 2021, alcançou 12,3%, a quinta melhor performance do histórico, desde janeiro de 2018 (44 meses de observação).

De acordo com os analistas, os indicadores do MCC-ENET de setembro são consistentes com a tendência observada nos meses anteriores, com um sólido perfil de crescimento das vendas online no Brasil, que também é observada nas diversas regiões do País. Os dados ainda apontam que, no trimestre de julho a setembro de 2021, 16,7% dos internautas brasileiros realizaram ao menos uma compra online.

Vendas online

Mesmo com o bom desempenho das vendas praticadas pela internet, quando o período de comparação é setembro com o mês de agosto, neste caso, teve uma retração de (?6,31%). Em contrapartida, no acumulado do ano o crescimento é de 10,82%. O faturamento do setor também teve variação negativa quando foram comparados os meses de setembro e agosto: (?4,49%).

Durante o mês de agosto de 2021, o e-commerce representou 12,3% do comércio varejista restrito (exceto veículos, peças e materiais de construção). No acumulado dos últimos 12 meses, nota-se que a participação do e-commerce no comércio varejista corresponde a 11,2%. Esse indicador foi feito a partir da última Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, divulgada no dia 6 de outubro.

Categorias

Em agosto 2021, a composição de compras realizadas pela internet, por segmento, ficou da seguinte forma: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (42,8%); móveis e eletrodomésticos (28,3%); e tecidos, vestuário e calçados (10,1%). Na sequência, artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7,4%); outros artigos de usos pessoal e doméstico (5,6%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,4%); e, por último, livros, jornais, revistas e papelaria (2,4%). Esse indicador também utiliza a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE como base.

Metodologia do MCC-ENET

Os índices mensais vêm da comparação dos dados do último mês vigente em relação ao período base (média de 2017). Para compor o índice, o Neotrust | Compre & Confie coleta 100% de todas as vendas reais de grande parte do mercado de e-commerce brasileiro, utilizando adicionalmente processos estatísticos para composição das informações do mercado total do comércio eletrônico brasileiro. Também são utilizadas informações dos indicadores econômicos nacionais do IBGE, IPEA e FGV.

Deixe seu comentário