Procura por empregos em segurança cibernética aumenta 12% no Brasil

0
0

Um levantamento feito pelo site de empregos Indeed revela que o número de vagas de emprego abertas em segurança cibernética aumentou 10% no Brasil, entre outubro de 2018 e outubro de 2019, e o número de brasileiros procurando por essas vagas cresceu 12% neste mesmo período. Comparando esse dado com o mesmo período no ano anterior, em que a procura por essas vagas era 4% menor, o crescimento do interesse no setor parece cada vez mais promissor.

Analisando a proporção de vagas abertas pelo número de brasileiros procurando por oportunidades, os dados do Indeed também mostram que os empregos em segurança cibernética têm uma taxa de incompatibilidade de 0,5, o que significa que há relativamente mais interesse dos candidatos nos empregos de segurança cibernética do que oferta de vagas.

Segundo Felipe Calbucci, diretor de vendas do Indeed no Brasil, em outubro de 2019, havia 3.835 empregos em segurança cibernética por 1 milhão de empregos no Brasil e 7.270 pessoas procurando por vagas em segurança cibernética por 1 milhão de vagas no Brasil. "Os candidatos de segurança cibernética mais procurados por empresas no Brasil são, respectivamente: Analista de Segurança da Informação, Engenheiro de Segurança e Analista de Segurança", completou Calbucci.

A Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) projeta que serão necessários 70 mil novos profissionais de TI por ano no Brasil entre 2019 e 2024. Por outro lado, a associação aponta que apenas 46 mil pessoas se formam ao ano no ensino superior com o perfil necessário para atender essas vagas no Brasil, estimando que o mercado de TI pode apresentar déficit de 290 mil profissionais em 2024.

Dada a evolução tecnológica e às crescentes ameaças, há claramente uma necessidade urgente de treinar e educar a próxima geração de profissionais de segurança de TI e ajudar a preencher a lacuna de talentos do setor. Opções e oportunidades são abundantes para construir uma carreira em segurança cibernética.

Deixe seu comentário