Pesquisa mostra que 56% dos brasileiros preferem notebooks para uso doméstico

0
79

Pesquisa realizada pelo Ibope Conecta, a pedido da Dell, divulgada nesta quarta-feira, 22, mostrou os hábitos de uso e de compra de computadores e tablets no Brasil. O levantamento, realizado em junho com mil internautas de todo o país que possuem computador e/ou tablet, identificou que os brasileiros têm, em média, 1,9 computador por domicílio e que as pessoas gastam 5,3 horas diárias na frente do PC ou do tablet doméstico.

Quanto ao principal computador utilizado em casa, a maioria dos entrevistados (56%) cita o notebook, seguido pelo desktop (31%), tablet (7%), notebook 2 em 1 (2%), All-in-One (2%) e outros (3%). E 95% dos brasileiros consultados indicam que utilizam o equipamento doméstico para acesso à internet.

O estudo aponta que 34% dos entrevistados comprou o principal computador de uso doméstico há mais de dois anos e 46% pretendem adquirir um novo equipamento nos próximos seis meses. O levantamento constata que ¼ dos brasileiros que já possuem computador planeja comprar um notebook no período.

Quando questionados sobre os principais usos do computador e do tablet, 85% dos entrevistados afirmam que preferem o PC para assistir filmes e séries, 74% para navegar na internet, 73% para acessar e-mails, 60% para ler notícias. O tablet é tão preferido quanto o computador pelos usuários para conversa com amigos e familiares e também para acessar redes sociais.

Quanto aos principais atributos buscados em um novo computador estão: processador (57%), marca (22%) e memória RAM (8%). Ainda segundo o estudo, 78% consideram o suporte em domicílio como um diferencial importante no momento de decisão de compra.

Para Luis Gonçalves, presidente da Dell Brasil, apesar da queda mundial do mercado de PCs da ordem de 11% em 2014 (no último trimestre de foi de 9,5%), segundo dados da IDC, ''existe ainda um grande potencial para crescimento, pois dos 8 bilhões de computadores existentes, 600 mil deles tem mais de 4 anos de uso''. Acrescenta que a Dell teve uma queda menor, 3,5%, o que aumentou seu share de 14% para 14,5% do mercado mundial.

Sobre as ferramentas utilizadas para analisar a compra de um novo computador, a internet representa o principal influenciador: 33% dos entrevistados pela pesquisa afirmam que utilizam lojas online para avaliação, 29% se baseiam em análises na web e 1% usam opiniões nas redes sociais. Além disso, 19% vão a lojas físicas, 13% buscam a indicação de amigos e conhecidos e 1% procuram matérias na imprensa.

Quando questionados sobre quais os formatos de computadores que sobreviverão em longo prazo, 55% citam o notebook, 44% o notebook 2 em 1, 31% o tablet, 27% o All-in-One e 18% o desktop.

Home office

Outra conclusão do estudo é a de que entre os entrevistados que trabalham (77%), 57% têm permissão da empresa para uso do computador pessoal no ambiente profissional. Além disso, 76% afirmam que acessam o e-mail profissional do PC ou tablet pessoal e 46% têm acesso a arquivos e documentos da empresa. Por outro lado, 15% admitem que a companhia na qual trabalham não está ciente desse uso do equipamento próprio para acessar informações corporativas.

"Esse uso dos equipamentos pessoais no ambiente profissional, também conhecido como BYOD (Bring Your Own Device), representa um caminho sem volta e as empresas precisam estar preparadas para isso. Para facilitar esse processo, hoje a Dell oferece computadores e tablets com recursos que permitem uma fácil integração à rede corporativa, bem como outras soluções que facilitam a gestão e a segurança das informações", reforça o presidente da Dell Brasil, acrescentando que outra pesquisa conduzida pela empresa mostrou que 92% dos executivos de TI dizem que as operações de seus departamentos não conseguem atender as demandas das outras áreas das empresas, que na maioria das vezes usam soluções de tecnologia independente de controle, a chamado "shadow IT".

Deixe seu comentário