Pomelo capta R$ 190 milhões para expandir infraestrutura de pagamentos na AL

0
17

Fundada no início de 2021 por executivos do Mercado Pago, Mastercard e Naranja X, a Pomelo anunciou hoje um investimento de R$190 milhões    (USD35 M), um dos maiores Serie A na América Latina, e está lançando operações no Brasil e México, além da atual operação na Argentina. A rodada foi liderada pela Tiger Global e contou com a participação dos principais VCs como monashees, Index Ventures, Insight, QED, SciFi, Greyhound e Box Group, bem como dos fundadores da Affirm, Checkout, N26, Plaid e Ramp, entre outros.

A Pomelo permite que fintechs e empresas de tecnologia, desde startups a líderes do setor, incorporem serviços financeiros a seus negócios. Sua plataforma de APIs de nova geração permite que as empresas tenham processos de onboarding simples de integrar e seguros, abram contas virtuais conectadas aos sistemas financeiros locais e emitem cartões de débito e crédito pela América Latina. A Pomelo também faz todo o trabalho regulatório, possibilitando que seus clientes acelerem o tempo de lançamento no mercado e se concentrem em sua proposta de valor.

"A infraestrutura de serviços financeiros na América Latina está completamente obsoleta e altamente fragmentada. Cada mercado tem sua própria regulamentação e nuances, e os fornecedores antigos oferecem tecnologia obsoleta a preços caros. A maioria das empresas e equipes técnicas está frustrada com o status quo e não consegue dimensionar seus produtos com rapidez suficiente devido à falta de soluções regionais. Nosso objetivo na Pomelo é fazer com que a América Latina se pareça com a Europa, o que significa que vamos ajudar nossos parceiros a desbloquear vários mercados em um curto período de tempo, permitindo que eles escalem seus negócios em vez de se preocupar com regulamentações, dezenas de contratos e integrações de backend. A Pomelo permite que você crie uma fintech completa com um pacote de APIs, desde a integração de um novo usuário até a entrega de um cartão de crédito na sua casa", explica Gaston Irigoyen, CEO e cofundador da Pomelo.

Esta nova rodada de R$190 milhões (USD35 M) ocorre apenas cinco meses após o anúncio de seu Seed Round de R$55 milhões (USD10 M). Pomelo tem uma lista impressionante de fundos VCs, incluindo Tiger Global, monashees, Index Ventures, Insight Partners, Sequoia, QED, SciFi, Greyhound, Box Group, FJ Labs, Latitud e Future Positive, bem como anjos de alto calibre como Max Levchin, Biz Stone, Martin Varsavsky, Jackie Reses, Angela Strange, Hans Tung, e os fundadores da Marqeta, Checkout, N26, Plaid, Kavak, Rappi, Auth0 e Loft entre outros unicórnios.

"O cenário de tecnologia da América Latina está crescendo e algumas startups emergentes estão transformando setores por inteiro. Fintech é um exemplo claro e vimos alguns produtos de consumo surpreendentes mudarem a lógica de bancos de varejo, empréstimos e seguros nos últimos anos. Agora estamos entusiasmados com a parceria com a Pomelo devido a sua perspectiva única sobre a América Latina, sua visão para uma nova infraestrutura regional de fintech e uma equipe forte capaz de executar com os mais altos padrões", disse John Curtius, sócio da Tiger Global Management.

"Nós acreditamos que a Pomelo está construindo e escalando a plataforma de infraestrutura fintech que será uma das líderes na América Latina. A equipe tem experiência e talento únicos para expandir esse negócio e atender a uma base diversificada de empresas e parceiros do ecossistema. A rodada do Series A foi altamente competitiva devido à combinação de equipe, oportunidade de mercado e plataforma de produtos diferenciada. Portanto, estamos animados por fazer um investimento significativo na rodada", disse Nikhil Sachdev, Managing Director da Insight Partners.

A construção de uma fintech na América Latina normalmente requer de 12 a 18 meses, milhões de dólares e grandes equipes dedicadas desenvolvendo integrações específicas e dedicadas com operadores locais. Além disso, expandir-se para novos mercados significava passar pelo mesmo processo doloroso em todos os países. Este é um problema que os fundadores sofreram na pele durante a construção do Mercado Pago e Naranja X, e agora estão dedicados em resolver criando a mais nova infraestrutura de pagamentos regional.

"Tendo participado da construção e escala de fintechs e players financeiros no passado, o time da Pomelo entende o que precisa ser entregue para os clientes para que atenda suas necessidades. Através do forte propósito de simplificar o uso de serviços financeiros dos seus clientes, eles recrutaram um time completo de talentos das principais fintechs da região que combinam expertise em tech e em finanças com a missão de mudar a forma como o mercado opera os tornam únicos – estamos seguros que o reconhecimento dos clientes consolidará a Pomelo entre os players mais relevantes no Brasil em um espaço curto de tempo." diz Caio Bolognesi, Partner na monashees.

O aporte da rodada será destinado à expansão da Pomelo no Brasil e no México, bem como na contratação de mais 150 pessoas para acelerar o lançamento de produtos e desenvolvimento de novos negócios. A empresa é bem conhecida por sua marca empregadora, tendo contratado mais de 100 especialistas em fintech em menos de seis meses, incluindo Bruno Martucci e Raymundo Guerrero, que lançaram os cartões do Mercado Pago no Brasil e no México, respectivamente, e Andres Tossounian que trabalhou no time de produto na N26.

"Atualmente, encontrar o equilíbrio ideal entre velocidade e adequação do produto ao mercado é chave", afirma Mark Fiorentino, Principal na Index Ventures. "Muitas vezes, a capacidade de fornecer uma solução de qualidade que se adapte às necessidades de cada sub-região na América Latina é ignorada por empresas globais ou mesmo empresas mais tradicionais. Seguimos extremamente impressionados com a capacidade da Pomelo em contratar os melhores talentos, executar sua visão de produto e conquistar clientes regionais conhecidos. Este aporte permitirá que a Pomelo possa expandir sua operação no Brasil e no México, entregando um pacote de produtos e funcionalidades feitos sob medida para cada um desses países."

A Pomelo acredita que toda empresa será uma fintech, e ainda mais na América Latina, onde a penetração dos smartphones é massiva, porém onde cerca de 40% da população ainda não tem acesso a serviços financeiros. "As empresas de tecnologia dedicadas ao varejo, entrega, mobilidade e viagens estão incorporando produtos fintech para aumentar o envolvimento do cliente e desbloquear novas linhas de receita", diz John Paz, COO & GM do Brasil, que anteriormente trabalhou no Boston Consulting Group e liderou a operação da Lime no Brasil.

Deixe seu comentário