Fórum Econômico Mundial desenvolve quatro princípios de segurança para ISPs

0
0


O Centro do Fórum Econômico Mundial para Segurança Cibernética reuniu um grupo de provedores locais de Internet (ISPs) e organizações multilaterais para desenvolver novas maneiras de proteger e impedir que ataques cibernéticos cheguem aos consumidores. Após um ano de desenvolvimento e teste, quatro princípios foram identificados como bem-sucedidos na prevenção de atividades mal-intencionadas de chegar aos consumidores.

Estabelecidos no relatório "Prevenção de crimes cibernéticos: princípios para provedores de serviços de Internet", os princípios foram endossados por empresas como BT, Deutsche Telekom, Du Telecom, Europol, Global Cyber Alliance, Sociedade da Internet, Korea Telecom, Proximus, Saudi Telcom, Singtel, Telstra e ITU. Confira:

  1. Proteger os consumidores por padrão de ataques cibernéticos generalizados e agir coletivamente com os colegas para identificar e responder a ameaças conhecidas.
  2. Agir para aumentar a conscientização e a compreensão das ameaças e apoiar os consumidores na proteção de si mesmos e de suas redes.
  3. Trabalhar mais de perto com fabricantes e fornecedores de hardware, software e infraestrutura para aumentar os níveis mínimos de segurança.
  4. Tomar medidas para reforçar a segurança de roteamento e sinalização para reforçar a defesa eficaz contra ataques.

No relatório, cada princípio é considerado pela perspectiva dos desafios que ele procura enfrentar, além de fornecer evidências demonstráveis dos provedores de serviços dos benefícios da implementação. Além disso, mais detalhes técnicos sobre como cada princípio pode ser implementado também são fornecidos nas recomendações relacionadas.

O Fórum Econômico Mundial vai usar a partir de agora sua Plataforma para Moldar o Futuro da Cibersegurança e da Confiança Digital para impulsionar a adoção dos Princípios e buscar iniciar um diálogo entre os stakeholders dos setores público e privado sobre como os governos podem incentivar a adoção e estabelecer estruturas políticas mais claras. e expectativas. Na visão dos especialistas, trabalhando em colaboração, os ISPs estarão em melhor posição para proteger seus clientes e defender suas próprias redes do que se trabalhem sozinhos.

Deixe seu comentário