Publicidade
Início Notícias Inteligência Artificial Mapeamento aponta que a evolução da pesquisa e das aplicações de tecnologias...

Mapeamento aponta que a evolução da pesquisa e das aplicações de tecnologias de IA abrem novas oportunidades

0
Publicidade

O governo britânico e o Ministério das Relações Exteriores celebram o estudo produzido pelo Centre for Artificial Intelligence – C4AI (centro de pesquisa para IA no Brasil), que apresenta o mapeamento de oportunidades em IA no Brasil e no Reino Unido. Seu objetivo maior é construir referências para que empresas, universidades e instituições de governo do Reino Unido e do Brasil possam reconhecer pontos de sinergia e avançar na colaboração entre as duas nações nessa tecnologia.

A Inteligência Artificial (IA) possui uma grande diversidade de aplicações práticas, além de uma natureza transversal que não limita seu impacto a um único setor, mas cria oportunidades comerciais importantes e gera impactos profundos na vida das pessoas.
O novo embaixador do Reino Unido no Brasil, Peter Wilson, lembrou que “o cientista britânico pioneiro da computação, Alan Turing, é amplamente considerado como o principal impulsionador e inspirador de grande parte do desenvolvimento da IA.”

O Reino Unido é reconhecido internacionalmente por sua liderança em pesquisa e pela excelência das instituições que constituem seu sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I). O Alan Turing Institute, criado em 2015, é uma instituição dedicada à ciência de dados e à IA e ao suporte operacional e de políticas públicas.

Uma outra decisão de governo britânico que ganhou enorme relevância entre as iniciativas voltadas para a inovação tecnológica encontra-se nos centros Catapult, que se disseminaram por todo o Reino Unido a partir de 2013. Coordenados pela Innovate UK, formaram a Rede Catapult que integra nove centros de excelência com presença nacional, que têm como objetivo catalizar tecnologias disruptivas nas áreas que envolvem o Digital, a Genética, Semicondutores, Cidades Conectadas, Energia, Manufatura, Medicina, Energias Renováveis e Satélites.

O embaixador Peter Wilson enfatizou que “o Reino Unido continua a ser líder mundial em IA e um dos melhores lugares do mundo para que as empresas que desenvolvem e implantam IA possam começar, crescer e prosperar. Estamos comprometidos em trabalhar com parceiros internacionais para garantir que a IA seja desenvolvida e utilizada de forma ética, segura e responsável”.

O Brasil possui um sistema regulatório-legal avançado e diversificado que nada fica a dever para os países que fazem ciência na fronteira do conhecimento. No ínicio deste mês foi publicada a Estratégia Brasileira de Inteligência Artificial, que reforça o compromisso nacional com a pesquisa, inovação e desenvolvimento de soluções em IA, seu uso ético e responsável, buscando sempre uma abordagem multissetorial para o tratamento de tecnologias emergentes.

Contando com centenas de universidades e com tradicionais órgãos de coleta e produção de dados, o Brasil possui um ecossistema de inovação maduro e sofisticado, o que contribui para que o país seja o principal destino de investimentos na América Latina. Segundo o Relatório “Artificial Intelligence Index 2021” e a própria OCDE, o Brasil é um dos países com o maior crescimento em contratação de profissionais de IA entre 2016 e 2020, demonstrando o dinamismo do setor em nível nacional. Nesse particular, o País tem fomentado a criação de centros de IA aplicada e reunido expertise nacional na Rede MCTI-EMBRAPII de Inovação em IA, a maior do país na área.

A necessidade de retomar o impulso pelo crescimento anima tanto o Brasil quanto o Reino Unido, ainda que estejam assentados em estruturas, histórias e instituições distintas. As duas nações buscam obstinadamente a elevação da competitividade de suas economias. As sinergias despertadas pela busca comum de tecnologias de IA mais avançadas, capazes de elevar o padrão de vida de ambas as populações, descortinam novos horizontes para a cooperação ainda mais virtuosa entre Brasil e Reino Unido.

A colaboração com nações que compartilham valores similares e a expansão da comunidade de IA são essenciais para aumentar as capacidades de co-criação de soluções tecnológicas, capazes de gerar novos produtos e de responder aos desafios globais.

“O Brasil participa ativamente dos principais mecanismos internacionais sobre IA, aderiu à Recomendação da OCDE sobre IA (2019), participa ativamente das negociações em curso sobre Ética em IA no âmbito da UNESCO e aderiu à Global Partnership on Artificial Intelligence (GPAI). O Brasil atribui particular importância à cooperação bilateral com o Reino Unido em IA, estimulando pesquisa, inovação e desenvolvimento de soluções conjuntas na área”, disse o Embaixador Sarquis José Buainain Sarquis, Secretário de Comércio Exterior e Assuntos Econômicos do Ministério das Relações Exteriores.

Brasil e Reino Unido oferecem um conjunto atraente de possibilidades para o investimento e crescimento de empresas de tecnologia. Além das dimensões continentais de seu mercado, o Brasil é um país de referência e que continua sendo a grande porta de entrada para todo o mercado latino-americano, composto por mais de 620 milhões de pessoas.

No dia 27 de abril, durante um evento online, haverá o lançamento do relatório “A Inteligência Artificial no Brasil e no Reino Unido – Oportunidades para a cooperação em pesquisa, negócios e governos”. Neste webinar, além da apresentação das principais conclusões do relatório haverá um debate com especialistas sobre as oportunidades de novas parcerias em AI entre os dois países.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Sair da versão mobile