Presidente do FMI defende uso de machine learning, IA e blockchain para combater lavagem de dinheiro

0
0

Christine Lagarde, presidente do Fundo Monetário Internacional – FMI defendeu durante reunião plenária da Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF), nesta quinta-feira, 22, o uso da tecnologia de blockchain para combater a lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, observando que as inovações das "cadeias de blocos" poderiam uma defesa contra essas questões.

Também falou sobre o "poder" das tecnologias geradas pelas fintechs. "É claro que a fintech é uma espada de dois gumes. Ela pode ser usada para promover e financiar o terrorismo, inclusive através do anonimato das moedas virtuais. Mas também pode ser uma ferramenta poderosa para fortalecer nossas defesas contra o financiamento do terrorismo", observou.

Em seu discurso disse que "podemos usar fintech para identificar fluxos financeiros terroristas, inclusive no caso de transações muito pequenas. O machine learning e outras ferramentas de inteligência artificial podem ajudar a identificar padrões de atividade que de outra forma seriam muito difíceis de detectar".

"Elas também podem ajudar a proteger os sistemas financeiros contra o ciberterrorismo. Um bom exemplo é a tecnologia do distributed ledge que sustenta moedas virtuais e outras aplicações. Essa tecnologia é menos vulnerável a um único ponto de falha e pode ser resiliente aos ataques cibernéticos, porque o razão – ou registro de transações – existe em múltiplas cópias".

Finalizou sua explanação, afirmando que "corrupção, evasão fiscal, financiamento do terrorismo e exclusão financeira: estes são grandes desafios para nossos países membros hoje – e eles precisam ser abordados de frente".

Deixe seu comentário