Equinix e GIC anunciam joint venture de mais de US$ 1 bi para explorar mercado de data centers no Japão

0
0

A Equinix anunciou a assinatura de um contrato de joint venture de US$ 1 bilhão com o GIC, fundo soberanO de Singapura, para desenvolver e operar data centers xScale no Japão. As três primeiras instalações da joint venture — uma em Osaka e duas em Tóquio — atenderão as necessidades específicas de implantação das cargas de trabalho essenciais de um grupo-alvo de empresas hyperscale, incluindo os maiores provedores de serviços de cloud do mundo.

Com esses data centers XScale, as empresas podem adicionar implantações essenciais às suas presenças em pontos de acesso da Equinix, possibilitando seu crescimento em uma plataforma única capaz de abranger 55 áreas metropolitanas globais e oferecer conexão direta — dentro de um conjunto vibrante de ecossistemas — para seus clientes e parceiros de negócios estratégicos.

"As arquiteturas híbrida e multicloud surgiram como uma preferência clara em termos de arquitetura de TI, e a Equinix vem mantendo seus esforços no sentido de satisfazer as necessidades de interconexão e a carga de trabalho essenciais das principais empresas hyperscale e de cloud que alimentam essa infraestrutura. As novas instalações previstas para essa joint venture permitirão que os clientes simplifiquem seu crescimento constante, ao mesmo tempo em que fortalecem a posição de liderança da Equinix no ecossistema de clouds", explica Charles Meyers, CEO da Equinix.

O rápido crescimento da economia digital tem impulsionado uma demanda cada vez maior por conectividade global e soluções multicloud e híbridas. Por muitos anos, os maiores provedores de serviços de cloud do mundo, incluindo Alibaba Cloud, Amazon Web Services, Google Cloud, IBM Cloud, Microsoft Azure e Oracle Cloud Infrastructure, mantiveram uma parceria com a Equinix para utilizar sua plataforma global de 210 data centers e se conectar diretamente a seus parceiros de negócios e clientes. Conforme continuam se expandindo na região Ásia-Pacífico, essas empresas precisam de capacidade em larga escala para atender aos seus requisitos internos de computação, armazenamento e cache na edge.

As três primeiras instalações incluídas na joint venture fornecerão aproximadamente 138 megawatts (MW) de capacidade de energia para os mercados de Osaka e Tóquio quando estiverem 100% concluídas.

Os data centers xScale fornecem às empresas hyperscale uma proposta de valor diferenciada, se comparada aos operadores de data centers por atacado existentes, em duas áreas essenciais: acesso ao amplo pacote de serviços de interconexão e de edge da Equinix (esses serviços se conectarão aos pontos de acesso das empresas hyperscale já existentes na Equinix, aumentando, assim, a velocidade da conectividade com seus clientes corporativos existentes e futuros); e cumprimento dos requisitos técnicos e operacionais e de preço das implantações hyperscale de cargas de trabalho essenciais. Isso permitirá que as empresas hyperscale consolidem suas implantações essenciais e de pontos de acesso em um único provedor global, de modo a agilizar e simplificar seu rápido crescimento.

A Plataforma Equinix oferece a maioria dos pontos de acesso — "rampas de acesso à cloud" — para os principais provedores globais de serviços de cloud. À medida em que as empresas hyperscale expandem suas operações na Equinix, o ecossistema de quase 10.000 enterprises e outras empresas que operam atualmente na Equinix conta com mais oportunidades de se conectar diretamente e operar em proximidade com as maiores operadoras globais de cloud.

País estratégico

"O Japão é um país estratégico para a expansão regional hyperscale, e a demanda por capacidade de data center nos mercados de Tóquio e Osaka superou a oferta. Com essa nova joint venture, a Equinix e o GIC serão um dos principais provedores de novos recursos de data center para as maiores empresas hyperscale do mundo que buscam se expandir nesses dois mercados estratégicos, utilizando a Equinix para atender às suas principais necessidades de carga de trabalho e interconexão. Essa expansão visa acelerar a adoção de arquiteturas híbridas e multicloud por empresas de toda a região", avalia Jabez Tan, chefe de pesquisa da Structure Research.

O país é a terceira maior economia do mundo e um importante centro de interconexão regional. Como uma das maiores áreas metropolitanas e um sustentáculo da economia japonesa, Tóquio abriga uma grande concentração de sedes de empresas globais e regionais que formam uma massa crítica de clientes usuários finais com alta demanda por serviços hyperscale. Osaka conta com uma localização central, contém a segunda maior concentração de negócios no Japão e é um centro de inovação e de startups. Ambas as áreas metropolitanas dispõem atualmente de uma oferta restrita, mas são prioritárias para o crescimento hyperscale, de acordo com a Structure Research.

Pelos termos do acordo, o GIC terá 80% de participação acionária na joint venture e a Equinix os 20% de participação acionária restantes. A joint venture deverá ser concluída no 2° semestre de 2020, dependendo da aprovação regulatória e de outras condições de fechamento.

Por ocasião da conclusão dessa joint venture, espera-se que o GIC tenha contribuído com um valor suficiente para financiar sua participação acionária de 80% na parceria. A Equinix deverá ter transferido para a joint venture seus ativos TY12, em Tóquio, e OS2, em Osaka, juntamente com os direitos de desenvolvimento e o terreno para mais um data center em Tóquio, em troca de uma participação acionária de 20% na parceria e de uma receita líquida de caixa superior a US$ 100 milhões.

O financiamento para a joint venture também deverá ser concluído no 2° semestre de 2020, e espera-se que seja composto de um empréstimo DDTL (com retiradas predefinidas e pré-aprovadas) e um crédito rotativo. A receita proveniente do empréstimo DDTL deve financiar parte da contrapartida paga à Equinix pela venda dos ativos de desenvolvimento TY12 e OS2 à joint venture, além de parte dos custos previstos de desenvolvimento e construção desses ativos. A linha de crédito rotativo deve ser liberada para as necessidades de capital de giro e outras finalidades corporativas gerais da joint venture.

O Citi atuou como consultor financeiro exclusivo da Equinix no que se refere a essa transação.

Deixe seu comentário