Realengo Alimentos avança no projeto de analytics

0
0

Com mais de 35 anos de atuação no mercado, a Realengo Alimentos é uma indústria que atua em todo o processo envolvendo o arroz. Com duas unidades produtivas, uma em Santa Catarina, onde produzem o arroz parboilizado, e outra no Rio Grande de Sul, onde produzem o arroz branco, também estão presentes com um centro distribucional no Ceará e outro no Pará.

Para possibilitar análises mais concretas e relatórios estruturados, a empresa contou com o Grupo Toccato para implementação do business intelligence, que mudou a rotina corporativa por completo. Antes, o maior empecilho enfrentado por áreas estratégicas era a lentidão para geração dos relatórios e interpretação dos dados obtidos.

Segundo Guilherme Tavares, CEO do Centro de Serviços Compartilhados (CSC) do Grupo Toccato, o BI foi essencial para trazer uma nova visão aos negócios. "Os dados têm a capacidade de transformar a gestão e direcionar uma empresa ao caminho de resultados assertivos. Dessa forma, a Realengo passa a acompanhar tendências de mercado que são, de fato, potencializadoras de negócios", diz.

Atualmente, o Grupo Toccato apoia a Realengo na migração do QlikView para o Qlik Sense, em parceria com a Discovery Negócios, especializada em BI e Business Discovery, que esteve presente na implementação desde o início. Hamilton Neto, Diretor da Discovery Negócios, conta como o projeto aconteceu.

"A Realengo conseguiu consolidar o Qlik de forma estratégica em todas as áreas da empresa. Hoje, estamos em migração da plataforma QlikView para Qlik Sense, com previsão para término em meados deste ano. 70% já foi finalizado e estamos avançando uma cultura cada vez mais analítica dentro da empresa", diz.

Nesse contexto, o poder de tomada de decisões evoluiu junto ao desenvolvimento profissional de José Luiz Warnier, Gerente Administrativo da Realengo. "Entrei na Realengo como Auxiliar de Informática e avancei até a supervisão da área de TI. Como ao mesmo tempo participava diretamente no desenvolvimento das aplicações, e das reuniões de gestão estratégica da empresa, consegui direcionar para que as aplicações tivessem impacto muito rapidamente nas decisões da empresa. Com o tempo, assumi a gerência administrativa, sendo responsável também pela coordenação da gestão estratégica. Atuo ainda no direcionamento das aplicações e melhorias a serem desenvolvidas no BI", explica Warnier.

A visão antes e depois de Qlik

Dados soltos em planilhas e informações distintas eram os principais empecilhos enfrentados pela Realengo antes da implementação do BI. "Agora, consigo enxergar os dados de forma rápida, dinâmica, a qualquer momento, cruzando-os em qualquer situação. Caso seja necessário ter acesso a outra informação, mudamos alguns filtros, otimizando tempo. Também recebemos alertas estratégicos para que esse monitoramento seja ainda mais eficaz", ressalta Warnier.

Os projetos na área comercial e controladoria se destacam perante os demais pelo retorno que geram. Ao estruturar os dados e moldá-los dentro do BI, foi possível ter outros ganhos não imaginados anteriormente. Um deles foi a análise preditiva. Agora, a Realengo consegue analisar em tempo real gastos e anteceder estimativas mensais.

Warnier conta que, para o futuro, a expectativa é evoluir ainda mais a predição e simulações de cenários. "Buscamos aprimorar algumas aplicações para torná-las mais completas. Estamos bem satisfeitos com o serviço prestado e com a plataforma", conclui.

Deixe seu comentário