Brasileiros gastarão R$ 2,6 bi em compras em sites estrangeiros este ano, diz PayPal

0
0

Até o fim deste ano, os brasileiros gastarão cerca de R$ 2,6 bilhões em compras em sites estrangeiros. Os consumidores locais estão entre os que mais buscam produtos em sites norte-americanos, devendo movimentar R$ 1,3 bilhão em compras nos EUA em 2013. 

Essas projeções constam do estudo Modern Spice Routes: The Cultural Impact of Cross-Border Shopping, desenvolvido pela Nielsen para a plataforma de pagamentos online PayPal.

O estudo revela que, até o fim do ano, serão mais de 88 milhões de estrangeiros consumindo em sites brasileiros, movimentando R$ 1,5 bilhão. Até 2018, este montante deverá atingir os R$ 4 bilhões.

No Brasil, até o final deste ano, os americanos gastarão R$ 849 milhões; seguidos dos britânicos, com R$ 115 milhões; alemães, com mais de R$ 88 milhões; australianos, com cerca de R$ 9,5 milhões; chineses, com R$ 400 milhões.

"O estudo mostra o alto potencial de compra do brasileiro e, em paralelo, demonstra que este mercado traz inúmeras oportunidades a diversos segmentos do comércio brasileiro, que buscam expandir seus negócios para além das fronteiras nacionais", diz Mario Mello, diretor geral do PayPal para a América Latina.

Em âmbito global, as projeções apontam que, até o final deste ano, haverá 94 milhões de pessoas realizando compras online transnacionais. Ao todo, serão faturados US$105 bilhões.

Até 2018, haverá um aumento de quase 200% no volume transacionado,  totalizando US$307 bilhões em faturamento com 130 milhões de consumidores. Apenas no Brasil, este aumento será de 546%, totalizando o montante de quase R$ 17 bilhões. 

Os destinos internacionais do e-commerce mais populares são: Estados Unidos (45%), Reino Unido (37%), China continental (26%), Hong Kong (25%), Canadá (18%), Austrália (16%) e Alemanha (14%). Já os brasileiros optam primeiro pelos Estados Unidos (79%), seguido pela China (48%), Hong Kong (17%) e Reino Unido (17%).

As principais categorias de compras para os compradores transnacionais nestes seis mercados são: vestuário, calçados e acessórios (US$12,5 bilhões); remédios e cosméticos (US$7,6 bilhões); joias e relógios (US$5,8 bilhões); eletrônicos pessoais como tablets e smartphones (US$6 bilhões); computadores e hardware (US$6 bilhões); e eletroeletrônicos (US$5,4 bilhões).

David Marcus, presidente do PayPal, ressalta que o comércio transnacional não é novidade. "A novidade é que agora se tornou mais fácil para os consumidores realizarem compras online diretamente com os comerciantes em todo o mundo", diz.

Para Marcus, a compra transnacional crescerá na medida que as pessoas se tornarem mais confiantes para realizar esse tipo de transação.

O estudo revela que quase 7 entre 10 (69%) compradores transnacionais online citaram o medo do roubo de identidade e fraude como os principais empecilhos para efetuar um pagamento online transnacional. No Brasil, este percentual é de 66%.

Deixe seu comentário