iOS vence Android em monetização e impressões de anúncios móveis, diz estudo

0
0

No segundo trimestre de 2013, houve crescimento inédito no investimento e valor das campanhas de publicidade móvel em todos os aparelhos e regiões do mundo, em comparação com igual período de 2012. A afirmação é de Mahi de Silva, CEO da Opera Mediaworks, uma das maiores plataformas globais de publicidade móvel.

O executivo baseia-se nos achados do relatório State of the Mobile Advertising, em que a Opera Mediaworks identifica as principais tendências da publicidade móvel no período.

Silva informa que, ainda que o iOS permaneça na liderança, a concorrência se acentua com o crescimento de novas categorias, novas regiões emergentes e o surgimento de novas tecnologias.

"O volume total de impressões da Opera Mediaworks aumentou 43% comparado ao ano anterior, e os aumentos só vão crescer conforme chegamos ao final de 2013", diz ele.

O relatório destaca que a Apple lidera tanto em monetização quanto em tráfego entre as plataformas móveis.

Os dados mostram que o sistema operacional iOS/Apple responde por 43,75% do tráfego e por 49,36% das receitas. O Android/Google, por sua vez, responde por 31,24% do tráfego e 28,08% das receitas (Veja quadro abaixo).

Três a cada quatro dólares de todas as transações móveis ocorrem nos Estados Unidos, segundo a pesquisa.

Os analistas assinalam que pouco menos de 50% de todas as solicitações de publicidade estão no mercado de publicidade móvel americano, mas elas respondem por quase 75% das receitas.

Outra conclusão do estudo é que campanhas dentro dos aplicativos, com mídia elaborada, têm desempenho melhor que banners e web móvel.

Anunciantes de marcas que estão levando seus investimentos em publicidade móvel para campanhas criativas com mídia elaborada que rodam dentro de aplicativos estão alcançando um retorno maior, com uma taxa média de cliques de 1,53%, assinalam os pesquisadores.

Os dados também revelam que, ainda que a publicidade no formato de banners prevaleça, os anunciantes já trabalham mais com modelos como tap-to-expand (toque para ampliar) e unidades VAST intersticial (vídeos móveis).

sistemas operacionais móveis share

Deixe seu comentário