Grupo Digicon consegue certificação de software CMMI

0
62

O Grupo Digicon, composto pelas empresas Perto e Digicon, que atuam em diferentes mercados de automação bancária, de varejo, de mobilidade urbana, de controle de acesso e ponto eletrônico, conquistou uma das certificações internacionais mais importantes para área de software, a CMMI para Desenvolvimento nível 3 (CMMI- DEV 3). Após um processo de dois anos de adequação da metodologia de desenvolvimento de softwares, envolvendo diretamente neste processo 115 profissionais, o Grupo Digicon entra na lista de 48 companhias no Brasil a contar com o reconhecimento, validado em 94 países no mundo.

"Esta certificação nos insere em outro patamar de desenvolvimento de softwares e impulsiona nossa estratégia na busca da liderança nos segmentos que atuamos, tanto no Brasil como no exterior. Um exemplo é a Índia, onde a Perto está investindo na construção de uma fábrica que deverá se inaugurada em 2016", destaca o diretor de Operações da Perto, Marco Aurélio de Freitas.

O CMMI- DEV é um modelo de maturidade para melhoria de processos destinado ao desenvolvimento de produtos e serviços. É composto pelas melhores práticas associadas a atividades de desenvolvimento e de manutenção que cobrem o ciclo de vida do produto desde a concepção até a entrega e manutenção. "Nossas soluções ganham mais competitividade na medida em que as equipes de diferentes localidades estão mais integradas. Existe uma troca maior de informações e um controle de todas as etapas por meio de padrões a serem registrados, o que ajuda na condução dos novos projetos. Já sentimos uma melhora na qualidade da entrega", destaca o gerente geral de Software e Outsourcing da Perto, Fernando Mitidieri, que também é gestor deste processo no Grupo.

Soluções de autoatendimento

O aumento de negócios na área de autoatendimento já inicia com novos projetos da Perto com os terminais Paystation, equipamentos multifuncionais desenvolvidos especialmente para soluções de pagamentos como tickets de estacionamento. Recentemente, a empresa fechou contrato com ume grupo de empreendimentos imobiliários, que detém uma das maioress carteiras de shopping centers do País, com 18 unidades próprias. Os terminais já estão em operação por todo país.  Em 2014, a Perto fechou a venda de mais de 250 terminais de autoatendimento para outro grupo, em cerca de 40 shoppings da rede.

"Este terminal aceita e reconhece valores em cédulas e moedas e ainda devolve troco, além de possuir as opções de pagamento em cartões de crédito e débito. Isso permite mais agilidade e praticidade ao público que frequenta os estabelecimentos comerciais", enfatiza Eraldo Gonçalves da Silva, gerente Comercial da Perto.

Além dos estacionamentos, o equipamento é uma estação de multisserviços e pode ser usado para o carregamento de bilhetes e passagens (ônibus, metro, etc.), pagamento de contas via código de barras, check in, e outros serviços, e também como dispensador de cartões para controle de acesso. O Paystation já opera também em estações de metrôs das principais cidades brasileiras e em 2016 deve ser expandir para mais capitais.

A estratégia da Digicon é continuar a investir em inovação, apresentando novidades tecnológicas nos equipamentos e nos softwares que integram os seus sistemas. "Temos soluções completas e diferenciadas e que atendem aos requisitos mais avançados dos nossos clientes. Esta certificação irá nos ajudar muito em continuar a aperfeiçoar os nossos produtos", enfatiza Hélgio Trindade, diretor da divisão de Mobilidade Urbana.

Além da produção do hardware, os softwares, tanto os de aplicação que interligam e gerenciam os sistemas, como também os embarcados chamados comumente de "firmwares", que rodam nos equipamentos, estão tendo influência por meio dessa certificação. "Para desenvolver todos estes softwares e firmwares temos hoje esta metodologia, que, além de nos qualificar no padrão mundial, irá melhorar a robustez e confiabilidade de todas as nossas soluções. Além de permitir uma otimização e padronização do desenvolvimento", afirma o diretor.

Umas das tecnologias que estão sendo beneficiadas com o CMMI- DEV 3 são os sistemas de bilhetagem desenvolvidos pela Digicon. Estas tecnologias estão facilitando o gerenciamento da rede de transportes públicos com grande volume de passageiros, como os casos do Sistema de Bilhete Único de São Paulo, via da SPTrans; o Sistema de Controle e Arrecadação de Passageiros (SCAP) no Metro na capital paulista (Linhas 4 Amarela e Linha 15 – primeiro Monotrilho do País) e no Sistema de Bilhetagem do Metro do Rio de Janeiro.

A solução da Digicon no Metrô de São Paulo possui bloqueios com portas de vidros deslizantes que funcionam automaticamente e cada equipamento é composto de um conjunto de sistemas eletrônicos que detectam a velocidade de locomoção do usuário. Já no sistema da SPTrans, a solução é composta pelo validador eletrônico de última geração, o DG Smart, que comanda diretamente a liberação das catracas eletrônicas através da aproximação de um cartão. No Metro da capital fluminense, além de validadores nos bloqueios com catracas, a solução possui um sistema de venda e recarga de créditos integrados nas bilheterias e máquinas de autoatendimento fabricadas pela Perto.

O software, com esse método internacional, também está presente nos parquímetros solares da Digicon. O sistema DG Park Web é responsável pelo gerenciamento centralizado de todas as informações dos parquímetros, como dados de arrecadação, controle de consumíveis e eventuais alarmes e falhas em tempo real. Ao todo, são cerca de 3,3 mil equipamentos instalados em mais de 60 cidades no Brasil.

Deixe seu comentário