Fábrica catalisadores adota plataforma de BI para a integrar informações transacionadas

0
6

Localizada na América do Sul e ofertando soluções globalizadas, a Fábrica Carioca de Catalisadores S.A. é uma empresa que cria, produz e entrega soluções em catalisadores e aditivos para a indústria de refino de petróleo, de forma rentável e responsável. Conta com a tradição e know-how de dois gigantes mundiais – Petrobras e a Albemarle Corporation – responsáveis por dispor um esquema tecnológico de pesquisa e desenvolvimento de catalisadores e aditivos.

A FCC S.A. é destaque no mercado de craqueamento catalítico na América do Sul e, em parceria com o Grupo Toccato, especialista em transformar dados em soluções de negócio, e a Informal, fornecedora de soluções de Tecnologia da Informação, potencializa sua área de dados por meio de um projeto com a plataforma Qlik.

O projeto estruturado pelo Grupo Toccato e Informal consiste no desenvolvimento de dashboards executivos na plataforma de Business Intelligence da Qlik, multinacional referência em Integração de Análise de Dados, voltados principalmente à alta gestão e a área de engenharia. De acordo com Eliane Juncal, Coordenadora de Planejamento de Vendas e Marketing da FCC S.A., o projeto trouxe benefícios como maior facilidade de visualização, análise, acesso e detalhamento das informações. "O BI é importante para nós para que possamos direcionar esforços em análise, reduzindo o tempo investido na obtenção das informações. Além disso, facilita o acesso a informações corporativas", explica.

A implementação do BI tem como objetivo integrar diferentes informações recebidas dos clientes da empresa, tanto do mercado nacional quanto do mercado internacional, que pode acontecer por meio de diferentes sistemas de origem. Antes, a FCC S.A. tinha dificuldades em padronizar o formato de captação dos dados. Agora, como resultado, "os times de atendimento da FCC poderão monitorar e atuar mais rapidamente frente às variações de cenários, otimizando condições operacionais e soluções catalíticas para seus clientes, com possibilidade de visualização da série histórica, desde 2015 até os dias atuais", conforme pontua Sergio Rogenfisch, Diretor da Informal.

Para o futuro, Eliane comenta que a empresa espera expandir o uso do BI. "Hoje, há implantações dispersas em várias áreas. O objetivo atual é implantar uma política para tornar essa frente de trabalho um processo padronizado internamente. Nossa expectativa com a utilização do BI no futuro é a ampliação e democratização do uso e da elaboração de soluções", destaca a executiva.

Já Guilherme Tavares, CEO do Centro de Serviços Compartilhados (CSC) do Grupo Toccato, ressalta a importância da inteligência de dados no segmento de atuação da FCC S.A., para que as operações tenham êxito com o uso assertivo dos dados coletados. "Os dados são ativos indispensáveis para qualquer negócio, mas o uso estratégico destas informações para a tomada de decisão deve ser realizado com um respaldo analítico. Para tanto, o BI é uma alternativa fundamental, para que empresas do porte da FCC S.A., bem como de outros segmentos e tamanhos, tenham sucesso com os dados coletados", conclui.

Deixe seu comentário