ABES, ReUrbi e Observatório do Terceiro Setor lançam mobilização para redução da desigualdade no Brasil

0
45

A ABES – Associação Brasileira de Empresas de Software, sensibilizada com as recentes discussões da cúpula do clima e alinhada ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU), decidiu promover uma mobilização para reduzir o impacto ao meio ambiente por meio do descarte apropriado de equipamentos de TI. Nomeada de "Mobilização para a redução da desigualdade", a campanha lançada pela associação, em parceria com a ReUrbi e Observatório do Terceiro Setor, e com apoio da Weber Shandwick, tem como objetivo apoiar projetos de inclusão social que promovam a capacitação na área digital, por meio dos recursos obtidos pela reciclagem de equipamentos de TI descartados pelas empresas.

A campanha tem como público-alvo todas as empresas do território nacional, associadas da ABES ou não, que possuem equipamentos de TI a descartar e que tenham interesse em participar deste movimento de impacto positivo no meio ambiente, sempre atendendo as práticas ESG (Meio Ambiente, Social e Governança na sigla em inglês).

As empresas participantes da ação terão como benefício a isenção dos custos de logística, receberão documentação legal dos descartes e Relatório de Impacto Socioambiental (RIA) com as informações de impacto ambiental, econômico e social para uso em seus Relatórios de Sustentabilidade e Responsabilidade Social e poderão indicar projetos sociais que receberão as devolutivas dos recursos gerados por meio do programa ReciTech – que faz a coleta, reciclagem e reinsere os equipamentos na cadeia produtiva.

Estima-se que o Brasil gere, atualmente, 2.1 milhões de toneladas de resíduos eletrônicos por ano, e aproximadamente 10% dessa quantidade são provenientes do setor de tecnologia, ou seja, 210 mil toneladas, que podem causar um impacto ao meio ambiente de 400 mil toneladas de gases de efeito estufa (GHG), semelhante uma cidade de 532.000 habitantes a cada ano, como Florianópolis (SC). As empresas do setor privado, de modo geral, são responsáveis por aproximadamente 30% dos descartes e o governo por outros 35%.

A tendência global é de crescimento exponencial na geração desses resíduos. A quantidade de equipamentos eletrônicos de TI que se tornam obsoletos após 3 anos de uso descartada pelas empresas no Brasil é de aproximadamente 23.240.000 kg/ano e gerariam receita anual de R? 162.680.000,00, levando em consideração que em média 30% dos equipamentos descartados teriam condições de serem recondicionados e reinseridos na economia e os outros 70% seriam reciclados.

Em até 3 anos, por meio do descarte correto das empresas do setor privado, seriam geradas 6.278 toneladas de equipamentos de TI obsoletos destinados a reciclagem e/ou recondicionamento, equivalendo a 11.883.544 toneladas de gases de efeito estufa (GHG) e 74.027 toneladas de metais tóxicos que deixariam de ser emitidos. Esse total equivale ao lixo eletrônico gerado por 8.731.737 habitantes por ano, podendo comparar a 17 vezes a população de Florianópilis/SC ou a população do município do Rio de Janeiro/RJ e Curitiba/PR juntas.

As organizações que tiverem equipamentos eletrônicos de TI que queiram contribuir para o meio ambiente e investir em projetos sociais, devem seguir as instruções no site do ReciTech . Entidades que possuem um projeto social alinhado ao propósito da campanha podem se inscrever para receber os recursos por meio de contato com o Observatório do Terceiro Setor: contato@observatorio3setor.org.br.

ESG FORUM

A TI INSIDE promove dias 16 e 17 de junho o ESG Forum, evento que vai discutir através de painéis de discussão os desafios para se tornar uma empresa ESG, governança corporativa, mudanças climáticas e capital humano. Mais informações, grade do evento, inscrições no site www.esgforum.com.br ou pelo telefone/WhatsApp 11-3138-4619 info@tiinside.com.br

Deixe seu comentário