MCS Kollmorgen utiliza plataforma Microsoft IoT na nuvem para transformar negócio de controles industriais

0
52

A monetização dos dados gerados por máquinas conectadas e definição de novos modelos de negócios é o principal desafio da MCS Kollmorgen, junção da tradicional empresa brasileira MCS Engenharia com a norte-americana Kollmorgen, que é líder no fornecimento de sistemas de controle de movimento e componentes para fabricantes de máquinas ao redor do mundo, com mais de 70 anos de experiência.

A Kollmorgen está no Brasil desde 2007 e em 2013, adquiriu a brasileira MCS, que tem atuação desde 1983 e é líder nacional em fabricação e integração de sistemas de alto desempenho para controle de movimento.

Edson Casagrande, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da MCS Kollmorgen, explica que a principal atividade da empresa é desenvolver controladores para máquinas industriais, que até então tinha um processo manual de manutenção dessas máquinas, tornando-o bastante complicado e caro. "Um profissional precisava estar junto da máquina e rodar um diagnóstico e só depois realizar a manutenção de fato. Enquanto isso, a fábrica tem uma máquina parada, o que gera stress e perda na produção", explica.

Para automatizar esse processo, a MCS Kollmorgen, em parceria como a Softline, distribuidor oficial para América Latina de licenciamento de tecnologia IoT da Microsoft (Azure IoT e  Windows 10 IoT), adotou a tecnologia de IoT para monitorar a operação das máquinas, análise preditiva para manutenção, comparação de performance, etc., trazendo como consequência de tempo de parada, custos de locomoção dos técnicos de manutenção, proporcionando melhor  controle  dos ativos e satisfação dos clientes.

Para ter a manutenção do controladores industriais com mais assertividade o sistema abastece a nuvem com um histórico de dados, que podem ser analisados no momento do problema e assim gerar um diagnóstico mais preciso – e de maneira remota – e mesmo com a máquina conectada, é possível tomar ação sem que o técnico esteja presencialmente defronte a máquina – com toda  segurança necessária, já que o permissionamento é feito a partir de logins personalizados com autorizações customizáveis. Os funcionários da MCS Kollmorgen, por sua vez, também estão capacitados para atuar dessa nova maneira, entregando serviço diferenciado aos clientes.

Case

Um dos clientes da MCS Kollmorgen dentro desse conceito de IoT é a empresa Hece, que oferece a solução Hece Wicket: uma máquina de corte e solda de alta produtividade para a produção de embalagens para fralda, absorventes, frango congelado, pão de forma e embalagens em geral. Com o novo controlador, a fábrica tem uma visão completa do que está acontecendo em seu ambiente industrial. Além disso, a MCS Kollmorgen consegue realizar a manutenção já com a informação histórica da máquina e ainda atualizar o firmware remotamente, caso seja necessário. Também é possível obter informações sobre o comportamento dos equipamentos auxiliando na manutenção preventiva. Hoje o cliente tem 100% do seu parque instalado já com a solução integrada.

Em seu controlador industrial, a MCS Kollmorgen usa Windows 10 IoT Enterprise e usa os seguintes serviços para a solução da fábrica conectada:  IoT Hub, App Service, Event Hub, Stream Analytics, Table Storage, Web Job, Service Bus, Azure Functions, SQL Data Base.

Segundo Vivian Heinrichs, IoT Lead Latma da Sofline, "hoje todos os controladores industriais do cliente já estão saindo com as funcionalidades de IoT implementadas. Uma vez conectados à internet, a MCS tem todo o status da usabilidade do controlador, consegue realizar as atualizações remotamente e realizar ajustes necessários".

Entre os benefícios estão :

– Tempo de assessment dos problemas nas máquinas: com todos os dados históricos da máquinas sendo armazenados na nuvem, o técnico responsável pela manutenção ganha tempo no momento de entender qual o problema, com um diagnóstico mais assertivo, baseado em dados. Antes, esses dados teriam que ser coletados com os responsáveis pela máquina no cliente da MCS, o que poderia prejudicar o processo de manutenção.

– Redução de custos com viagens e manutenção que tinha que ser feita no local de instalação da máquina e agora pode ser feita remotamente, de maneira a poupar com recursos destinados a viagens. O que permite que a empresa leve seus produtos para outros locais mais distantes e até investir em exportação para outros países, uma vez que poderá acessar dados e fazer a manutenção de maneira remota.

– Segurança: com a arquitetura da solução que foi desenvolvida atuando com o Windows 10 IoT e com o Azure para armazenar as informações na nuvem, todos os dados ficam seguros. Além disso, o acesso à máquina do cliente e suas funções operacionais é garantido apenas a partir do permissionamento de usuários, fazendo com que nada prejudique o funcionamento da mesma.

"A nossa migração para o Windows 10 agregou bastante no sentido de ter gráficos mais eficientes e também quando se fala de segurança. Com o IoT, os dispositivos expõem a rede local, então a segurança conta para que o usuário não tenha medo de conectar as máquinas. Além disso a garantia de 10 anos do sistema dada pela Microsoft é a certeza de longevidade no mercado", explica Casagrande.

Esse tipo de solução ser replicada também para outras indústrias, pois o controlador industrial funciona como um gateway, coletando as informações, enviando-as a nuvem permitindo a análise dos dados junto com uma possível ação local, manutenção preventiva e novos insights. Ou seja, temos atuação no setor de automação industrial, automação geral e embalagens, mas a mesma tecnologia pode ser aplicada em ferramentas, trabalho em madeira, corte de metais, corte de pedra, robótica e equipamentos médicos.

A Softline foi responsável por toda a consultoria ao longo do processo, além do licenciamento de todos os produtos.

Deixe seu comentário